Publicidade
Manaus
MAIS DE 3 MESES

Técnicos da saúde protestam em frente à sede do Governo contra salários atrasados

Funcionários de unidades de saúde cobram reunião com governador José Melo. Segundo os servidores terceirizados de pelo menos duas cooperativas, atrasos em salários chegam a três meses 30/09/2016 às 12:05 - Atualizado em 30/09/2016 às 12:08
Show servidores
Servidores protestam contra o atraso de salários (Foto: Divulgação)
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Cerca de 50 funcionários terceirizados de unidades de saúde da capital realizam um protesto na manhã desta sexta-feira (30) em frente à sede do Governo do Estado, localizada na Avenida Brasil, bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus. Eles reivindicam o pagamento de salários atrasados por meio da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam).

Com faixas, banners e um carro de som, os manifestantes cobram uma reunião com o governador José Melo para falar sobre os atrasos. “Já fomos informados que ele não irá nos atender. Enquanto isso, vamos ficar aqui. Se não tivermos uma resposta, vamos parar os hospitais inclusive nos setores de UTI”, disse um técnico de enfermagem, que não quis se identificar.

De acordo com os servidores, o atraso no pagamento chega a três meses. Entre as cooperativas citadas pelos técnicos está a Salvare e a Total Saúde, empresas investigadas na operação “Maus Caminhos”. A ação desarticulou quadrilha que desviou cerca de R$ 110 milhões da saúde do Amazonas.

“Essa situação está afetando todo mundo, tanto que tem gente do Hospital 28 de Agosto, João Lúcio e Maternidade Ana Braga aqui. A situação está um caos”, disse Marcel Ramos, técnico de enfermagem do Hospital João Lúcio.

Protestando, os servidores têm bloqueado a avenida em determinados momentos. Por conta disso, agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) estão no local para orientar o trânsito.

A reportagem aguarda um posicionamento da Susam sobre o caso.

“Cotinha”

Com o atraso de pagamentos de técnicos, médicos do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto têm ajudado os funcionários da unidade realizando “cotinhas” para pagar as viagens de ônibus. Segundo os técnicos de enfermagem do hospital, a empresa responsável pelo pagamento deles é uma cooperativa, que há cerca de dois meses substituiu o serviço terceirizado antes era exercido pela Total Saúde.

Segundo a assessoria de imprensa do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, a empresa terceirizada responsável pelos técnicos é a IS de Souza, com nome comercial de Amazon Clinical, com sede na rua Genesis, Petrópolis, na Zona Sul da capital. Conforme dados do Portal da Transparência, a empresa já recebeu, este ano, R$ 410.670,00, em quatro pagamentos distintos.

Em nota divulgada ontem, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) atribuiu responsabilidade pelos atrasos à empresa, mas não deu prazo para o pagamento dos salários. “O pagamento [...] é feito mediante prestação de contas, que deve ser feito pela empresa prestadora de serviços junto à Susam. A empresa [...] só entregou a documentação relativa aos serviços prestados nos meses de julho e agosto na semana passada, e a Susam está cumprindo os trâmites legais para autorizar os pagamentos”.

Publicidade
Publicidade