Publicidade
Manaus
Manaus

Tempo gasto pelos trabalhadores no trânsito de Manaus é quase o mesmo de quem mora no RJ e SP

Na área metropolitana do Rio de Janeiro, que ocupa a 1º posição no ranking, os habitantes gastam 141 minutos (2h20) no trajeto. Em São Paulo são 132 minutos (2h12), enquanto que em Manaus são 120 minutos (2h) 09/09/2015 às 15:15
Show 1
Manaus ocupa a 8º posição entre as 10 capitais aonde o tempo do deslocamento ‘casa-trabalho-casa’ mais vem crescendo a cada ano.
Luana Carvalho Manaus (AM)

Quem vive em Manaus perde quase o mesmo tempo  para ir e voltar do trabalho de quem mora nas duas maiores metrópoles do Brasil, São Paulo e Rio de Janeiro. Manaus tem 9,32 milhões de habitantes a menos que São Paulo e 3,8 milhões a menos que o Rio de Janeiro. Ainda assim, o tempo que se gasta no trânsito das três capitais é de, em média, duas horas, de acordo com pesquisa realizada pela Sistema Firjan. 

Manaus ocupa a 8º posição entre as 10 capitais onde o tempo do deslocamento casa-trabalho-casa mais cresce a cada ano. Na área metropolitana do Rio de Janeiro, que ocupa a 1º posição no ranking, os habitantes gastam 141 minutos (2 horas e 21 minutos) no trajeto. Em São Paulo são 132 minutos (2 horas e 12 minutos), enquanto que em Manaus, são 120 minutos (2 horas).  

O estudo divulgado nesta quarta-feira (9) mostra que, considerando os deslocamentos acima de 30 minutos, mais de 17 milhões de trabalhadores brasileiros demoram, em média, 114 minutos nessas viagens. O tempo perdido nos deslocamentos tem um impacto para a economia, a chamada produção sacrificada, superior a R$ 111 bilhões.

Em Manaus esse número aumentou em 304 mil pessoas entre 2011 e 2012, quase três vezes a população de Parintins/AM (103,8 mil) naquele ano.  Na área metropolitana de Manaus, 385 mil trabalhadores levaram, em média, 120 minutos nos deslocamentos casa-trabalho-casa, considerando apenas os deslocamentos acima de 30 minutos, em 2012. 

Frente a 2011, o tempo de deslocamento na área metropolitana aumentou 3 minutos, enquanto o número daqueles que perderam mais de 30 minutos no trânsito cresceu 1,1% (4,2 mil pessoas). Com isso, o custo da produção sacrificada ultrapassou R$ 2,2 bilhões em 2012, equivalente a 4,2% do PIB metropolitano daquele ano.

A pesquisa analisou os dados de 601 municípios em 37 áreas metropolitanas do País. 



Publicidade
Publicidade