Quarta-feira, 24 de Abril de 2019
publicidade
aria_.jpg
publicidade
publicidade

ordenamento de dívidas

Hotel de selva Ariaú Amazon Towers suspende suas atividades até agosto

Advogado do proprietário Rita Bernardino afirma que o local permanecerá 6 meses fechado para reforma, revitalização do espaço e regularização de dívidas trabalhistas


02/05/2016 às 23:25

Representante jurídico do Ariaú Amazon Towers confirmou que o hotel fechará suas portas. “Mas temporariamente. Vamos trabalhar pesado para que o hotel retorne suas atividades em agosto, à todo vapor”, declarou Robert Lincon, advogado do proprietário do hotel, Rita Bernardino, contrariando as ultimas informações veiculadas na internet de que o local havia fechado às portas definitivamente.

“O motivo é a reforma, revitalização do espaço e regulamentação de dívidas trabalhistas”, afirma Robert Lincon, advogado do proprietário do hotel, Rita Bernardino. O alvo das especulações foram as dívidas contraídas no valor de R$ 1,5 milhão com a Petrobrás, referente a uma ação judicial ingressada pela empresa DR Distribuidora à River Jungle Ltda, proprietária do hotel. Desde 2006, uma subsidiária da Petrobras, cobrava judicialmente a dívida.

Até dezembro de 2015, o processo estava em execução, tramitando na 2ª Vara Civil da Comarca de Iranduba. Segundo consta no documento, a BR Distribuidora solicita o reembolso de valores referentes ao Imposto Sobre a Circulação e Serviços (ICMS). A empresa alega que o montante foi indevidamente descontado de notas fiscais de fornecimento de combustíveis – como óleo diesel, lubrificantes e gasolina tipo C – no período de 2002 a 2004.

Cumprindo uma ação judicial, o imóvel chegou a ser leiloado no mês de janeiro, no Fórum de Justiça Henoch Reis, em dois momentos – dias 12 e 22. O hotel, avaliado em R$ 26 milhões precisava ser arrebato no mínimo pelo valor estipulado na avaliação judicial do bem. No entanto, não houve nenhum licitante. Com a ausência de lances, o requerente – Petrobras – teria como pedir um novo leilão, oferecer uma proposta de acordo ou demais possibilidades.

publicidade

Um dia antes do leilão (19), o Ariaú protocolou uma proposta na Vara onde o processo tramitava. No documento, constava a proposta de pagamento prévio no valor de R$ 400 mil a Petrobras para quitação da presente dívida. No entanto, o acordo foi recusado pela subsidAdboiária da estatal. A Equipe A Crítica tentou contato com a assessoria da empresa para se pronunciar sobre o andamento do processo, mas até o fechamento da matéria, não objetivemos resposta.

Para o advogado, “O processo é reversível”. Robert Lincon informou que há previsão para a criação de uma auditoria jurídica e contábil, tendo em vista que os processos que estão em tramitação envolvem fundamentalmente essas duas questões. “Tivemos reunião com os donos da propriedade na tarde de ontem (2), e definimos que esses são pontos chaves para solucionar por definitivo os problemas existentes.

Saúde questionada

Recentemente a saúde mental do empresário Rita Bernardino fez parte de notícias, também veiculada na internet. Licon informou que o empresário chegou a fazer exames para testar sua sanidade. “E posso afirmar que todos eles comprovam que ele está em pleno gozo de suas sanidades mentais”, afirma. “Rita Bernardino é um senhor de 84 anos e o seu comportamento está relacionado apenas ao impacto da idade. Nada fora da normalidade”, complementa o advogado.

publicidade
publicidade
Contratos de patrocínio da Petrobras passam por revisão, diz Bolsonaro
'Quem ganha mais pagará mais', diz Bolsonaro sobre reforma da Previdência
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.