Publicidade
Manaus
PROTESTO

Terceirizados da Semed protestam por salários e benefícios atrasados na CMM

Vestidos de preto, os manifestantes ocuparam as galerias populares do plenário. Eles devem ser recebidos ainda hoje pelos vereadores para discutir as necessidades do grupo 29/03/2017 às 09:57 - Atualizado em 29/03/2017 às 11:26
Show  ndice
(Foto: Camila Pereira)
Camila Pereira Manaus (AM)

Centenas de manipuladores de alimentos foram à Câmara Municipal de Manaus (CMM) na manhã desta quarta-feira (29) para reivindicar pagamento de salários, vale-transporte e outros benefícios. Sendo a maioria mulheres, as manifestantes afirmam ser terceirizadas da empresa RCA e prestam serviço para Secretaria Municipal de Educação (Semed).

A manipuladora de alimentos Silvana Braga afirmou que está sem receber há mais de três meses. “Viemos aqui reivindicar um direito que é nosso. Estamos pagando para trabalhar”, afirmou. “Vários benefícios não caem. Estamos ha um ano sem contracheques. Tem muita coisa errada e queremos uma solução", afirmou Silvana Braga, que trabalha como manipuladora de alimentos há dois anos.

Vestidos de preto, os manifestantes ocuparam as galerias populares do plenário. Eles devem ser recebidos ainda hoje pelos vereadores para discutir as necessidades do grupo. “Vamos transformar isso em documento para a CMM assumir o papel de mediador”,  disse.

 

Em resposta, a Semed informou que está em dia com os pagamentos à empresa, de acordo com o contrato firmado entre as duas partes. “Dessa forma, a secretaria não tem responsabilidade em relação aos possíveis atrasos de salários e outros benefícios dos funcionários da RCA, mas destaca que tanto a secretaria quanto  Prefeitura de Manaus estão empenhadas em resolver a situação”, disse a Semed.

A pasta divulgou também que os manipuladores de alimentos das escolas prejudicados com os atrasos de salários e benefícios devem procurar os órgãos trabalhistas. “Dentro do que as suas atribuições permitem, (a Semed) ressalta que os funcionários da empresa devem procurar auxílio dos órgãos responsáveis como Ministério do Trabalho e Superintendência Regional do Trabalho”, finalizou.

Publicidade
Publicidade