Publicidade
Manaus
SAÚDE

Terceirizados da Saúde no AM fazem nova manifestação pedindo pagamento salários

Segundo eles, vencimentos estão atrasados há três meses. Eles foram para a sede da Susam e chegaram a interditar a avenida André Araújo, no Aleixo 25/06/2018 às 10:40 - Atualizado em 25/06/2018 às 11:38
Show a68f78df d028 455c 930b f4ea51991a92
Foto: Junio Matos
Jéssica Santos Manaus (AM)

Cerca de 50 enfermeiros, técnicos de enfermagem e também profissionais de serviços gerais terceirizados da Saúde do Amazonas fizeram uma nova manifestação na manhã desta segunda-feira (25) em frente à Secretaria Estadual de Saúde (Susam), na avenida André Araújo, Aleixo, para reivindicar três meses de salários atrasados. Os profissionais alegam que a situação acontece desde 2016, repetidamente. Eles chegaram a interditar a via.

Segundo Fredson Dantas, presidente do Sindicato dos Profissionais da Área de Saúde Privada, a justificativa para os atrasos constantes nos salários é documentação. “Esse trâmite de liberação de dinheiro, de documentos, eles alegam que não liberam a verba porque a empresa (terceirizada) não leva a documentação completa pra liberar. O problema é que isso gera atraso de três a cinco meses e o prejudicado é o trabalhador, que fica com todas as suas contas atrasadas”, destacou ele.

Conforme Dantas, o problema acaba, consequentemente, diminuindo a qualidade do serviço público de saúde no Estado. “Enquanto isso, a empresa privada se mantém dentro do quadro da Susam, oferecendo um serviço de baixa qualidade, porque qual é o profissional que vai trabalhar bem estando com salários atrasados? Então estamos aqui juntos com os trabalhadores, tentando sensibilizar o governador e a equipe da secretaria de saúde para que seja revista essa política de terceirização dos profissionais de saúde”, falou

A enfermeira Jeane Rocha ressaltou o drama vivido pelos terceirizados da Susam. “Estamos há três meses sem receber, quando paga um, ficam mais três meses sem pagar. Nós viemos, então, nos manifestar, não temos resposta, somos ameaçados quando pedimos para saber o que tá acontecendo, e isso é uma falta de respeito muito grande. Nós não fazemos greve por respeito à população, mas o Estado não cumpre o seu dever com a gente”, ressaltou ela.

Em nota, a Susam informou que “vem cumprindo com o pagamento das empresas Nurse, Segeam, Amazon Clinical e BRB, assim como das demais empresas médicas, e que pendências, quando ocorrem, são provocadas por atraso na entrega de documentação pelas prestadoras de serviços”. Além disso, a secretaria afirmou que “vem reforçando com as empresas que priorizem o pagamento dos funcionários e das obrigações trabalhistas, que são de responsabilidade do contratante, somente efetuando o pagamento mediante a comprovação de pagamento dos salários dos funcionários no mês anterior”.

Publicidade
Publicidade