Sábado, 21 de Setembro de 2019
PROTESTO

Terceirizados de refinaria em Manaus fazem protesto pedindo valorização profissional

Funcionários da Refinaria Isaac Sabbá manifestaram contra a contratação de trabalhadores de outros estados do Brasil para atuar na produtora de petróleo da capital amazonense



refinaria_agora.JPG A refinaria Isaac Sabbá fica localizada na estrada Marapatá, no bairro Distrito Industrial (Foto: Arquivo AC)
10/08/2018 às 11:32

Terceirizados da Refinaria Isaac Sabbá (Reman), em Manaus, realizaram uma manifestação na manhã desta sexta-feira (10) contra a contratação de trabalhadores de outros estados do Brasil para atuação na produtora de petróleo da capital. O grupo chegou a interditar a via de acesso à refinaria, a estrada Marapatá, localizada no bairro Distrito Industrial, na Zona Sul.

Segundo o diretor financeiro do Sindicato dos Trabalhadores nas Industrias da Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial (Sintracomec), Flávio Braga, o ato começou por volta das 7h de hoje, quando muitos dos terceirizados chegavam e saiam do trabalho na refinaria.

"Terceirizados e desempregados fizeram esta manifestação, porque acreditam que a Isaac Sabbá está contratando pessoas de fora para atuar em Manaus. Foram oferecidas 700 vagas de emprego para 4 mil desempregados. Os que não foram contratados e os terceirizados acreditam que está acontecendo uma falta de valorização com os profissionais da capital. Mas posso assegurar que 80% dos trabalhadores contratados são de Manaus ", explicou.

O representante do Sintracomec comentou que o grupo decidiu realizar a manifestação por conta própria. "Muitas pessoas nos ligaram e perguntaram se o movimento era do sindicato. Mas não é. Ficamos sabendo da manifestação hoje", completou o sindicalista, afirmando que representantes do Sintracomec irão até o local para conversar com os trabalhadores. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.