Terça-feira, 01 de Dezembro de 2020
MANIFESTAÇÃO

Terceirizados do Estado interditam avenida reivindicando pagamento de salários

Os trabalhadores queimaram pedaços de madeira e bloquearam a av. Darcy Vargas. Eles afirmam passar dificuldades por conta dos três meses de atraso



43729fb2-f76d-40cd-a88f-7d686f2f3803.jpg Foto: Jair Araújo
13/11/2017 às 09:52

Trabalhadores terceirizados do Governo do Estado, funcionários da empresa LBC Serviços, interditaram na manhã desta segunda-feira (13) a avenida Darcy Vargas, na Zona Centro-Sul da capital, durante uma manifestação reivindicando o pagamento de três meses de salários atrasados. O grupo queimou pedaços de madeira e bloqueou a passagem de veículos na via durante cerca de 40 minutos.

“Estamos sem receber há três meses. A empresa terceirizada informou que a Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda) não repassou o dinheiro e ficamos nessa situação. Prestamos atividades em vários órgãos do Estado e fizemos esse ato porque queremos chamar atenção das autoridades. Queimamos lixo durante a manifestação”, disse o trabalhador André Silva, 39.




Foto: Jair Araújo

Passando dificuldades

Segundo o agente de portaria Romário Costa, de 29 anos, ele e outros funcionários da empresa vêm passando dificuldades por conta do atraso nos salários. “Tenho um filho recém-nascido e não tenho dinheiro para comprar nada para ele. Estou com o meu salário atrasado há mais de um mês. Durante esse tempo não faltei nenhuma vez, mas vamos realizar outras manifestações se não responderem”, afirmou.

O ato foi considerado pacífico, mas os trabalhadores prometeram realizar outras manifestações caso as reivindicações não sejam atendidas. Policiais militares da 22ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) estiveram no local, bem como agentes de trânsito do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans).


Foto: Jair Araújo

Empresa responde

Procurada pela reportagem, a gerente da LBC Serviços, Nazaré Carvalho, informou que o dinheiro do pagamento dos trabalhadores está sendo repassado de forma gradativa.

“Até o momento o dinheiro está sendo repassado de forma gradativa. O Estado passou por um decreto e todos os pagamentos ficaram congelados. Diante disso, temos um atraso no recebimento destes valores há até cinco meses, o que culminou no atraso de salários dos trabalhadores. Não estamos medindo esforço para que essa situação seja resolvida o mais breve. À medida que recebermos, vamos pagar”, explicou.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), mas até a publicação desta matéria não havia obtido resposta.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.