Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
publicidade
WhatsApp_Image_2017-09-01_at_08.35.26.jpeg
Trabalhadores fizeram protesto na manhã desta sexta-feira (Foto: Winnetou Almeida)
publicidade
publicidade

REIVINDICAÇÃO

Terceirizados do João Lúcio protestam após dispensa mesmo com salários atrasados

Trabalhadores dizem que estão sem receber desde o mês de maio e que ontem foram comunicados do fim do contrato com a BDA Comércio e Serviços


01/09/2017 às 08:43

Cerca de 60 profissionais terceirizados da empresa BDA Comércio e Serviços realizaram na manhã desta sexta-feira (1), uma manifestação na frente do Pronto Socorro João Lúcio, na Avenida Cosme Ferreira, na Zona Leste de Manaus. O grupo chegou a fechar o sentido Centro da via em cinco e cinco minutos. O trânsito ficou intenso no local. 

A encarregada do plantão da noite do Hospital João Lúcio, Flavia Neves, afirmou que os profissionais estão reivindicando o pagamento de salários atrasados. Eles estão sem receber desde o mês de maio. 

"Ontem por volta das 18h estávamos trabalhando e o diretor do Hospital nos informou que não fazíamos mais parte da equipe. Ele disse que a BDA não prestava mais serviços para o hospital. A lei nos garante trinta dias de antecendência, mas isso não aconteceu. 180 profissionais serão demitidos, mas queremos pelo menos que os nossos direitos sejam pagos", disse Flávia.

A encarregada também afirma que a diretoria do Hospital João Lúcio informou que tinha repassado o dinheiro dos salários para a empresa terceirizada, mas não foi isso que aconteceu. "Queremos pedir desculpa à população, mas paralisamos a via porque queremos os nossos direitos. Não estamos reivindicando que eles nos contratem novamente, mas que os nossos salários sejam pagos. Fomos dormir em uma democracia e acordamos em uma tirania", completou. 

publicidade

A auxiliar de serviços gerais, Roseneida dos Santos, 37, comentou que está há 15 dias sem gás de cozinha por conta dos salários atrasados. "Essa situação é terrível. Tenho passado dificuldade sem receber meu salário e ainda descubro que serei demitida. Estão acostumados a fazer isso com a gente, trocam de empresa e não nos informam", disse.

Agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) estiveram no local. O fluxo de carros ficou intenso até a rotativa da Bola do São José. Cinco profissionais do órgão atuaram no desvio de veículos. 

Uma viatura da Polícia Militar do Estado do Amazonas (PMAM) também esteve no local, mas o ato foi pacífico.

Por meio de nota, a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou que o serviço de limpeza e conservação da unidade é realizado por uma empresa prestadora de serviço. Os funcionários são contratados diretamente pela empresa e a direção da unidade não possui qualquer ingerência no sentido de manter ou desligar essas pessoas. A direção do Hospital João Lúcio destacou ainda que a referida empresa está sendo substituída.  

A Susam relatou que está trabalhando junto à Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) a fim de agilizar o pagamento da empresa no mais breve tempo possível.

publicidade
publicidade
População protesta contra saída de policial denunciado por assédio sexual no AM
Sargento da PM baleado na boca no Alvorada não corre risco de morte
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.