Quarta-feira, 08 de Abril de 2020
REIVINDICAÇÃO

Terceirizados do João Lúcio protestam após dispensa mesmo com salários atrasados

Trabalhadores dizem que estão sem receber desde o mês de maio e que ontem foram comunicados do fim do contrato com a BDA Comércio e Serviços



WhatsApp_Image_2017-09-01_at_08.35.26.jpeg Trabalhadores fizeram protesto na manhã desta sexta-feira (Foto: Winnetou Almeida)
01/09/2017 às 08:43

Cerca de 60 profissionais terceirizados da empresa BDA Comércio e Serviços realizaram na manhã desta sexta-feira (1), uma manifestação na frente do Pronto Socorro João Lúcio, na Avenida Cosme Ferreira, na Zona Leste de Manaus. O grupo chegou a fechar o sentido Centro da via em cinco e cinco minutos. O trânsito ficou intenso no local. 

A encarregada do plantão da noite do Hospital João Lúcio, Flavia Neves, afirmou que os profissionais estão reivindicando o pagamento de salários atrasados. Eles estão sem receber desde o mês de maio. 



"Ontem por volta das 18h estávamos trabalhando e o diretor do Hospital nos informou que não fazíamos mais parte da equipe. Ele disse que a BDA não prestava mais serviços para o hospital. A lei nos garante trinta dias de antecendência, mas isso não aconteceu. 180 profissionais serão demitidos, mas queremos pelo menos que os nossos direitos sejam pagos", disse Flávia.

A encarregada também afirma que a diretoria do Hospital João Lúcio informou que tinha repassado o dinheiro dos salários para a empresa terceirizada, mas não foi isso que aconteceu. "Queremos pedir desculpa à população, mas paralisamos a via porque queremos os nossos direitos. Não estamos reivindicando que eles nos contratem novamente, mas que os nossos salários sejam pagos. Fomos dormir em uma democracia e acordamos em uma tirania", completou. 

A auxiliar de serviços gerais, Roseneida dos Santos, 37, comentou que está há 15 dias sem gás de cozinha por conta dos salários atrasados. "Essa situação é terrível. Tenho passado dificuldade sem receber meu salário e ainda descubro que serei demitida. Estão acostumados a fazer isso com a gente, trocam de empresa e não nos informam", disse.

Agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) estiveram no local. O fluxo de carros ficou intenso até a rotativa da Bola do São José. Cinco profissionais do órgão atuaram no desvio de veículos. 

Uma viatura da Polícia Militar do Estado do Amazonas (PMAM) também esteve no local, mas o ato foi pacífico.

Por meio de nota, a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou que o serviço de limpeza e conservação da unidade é realizado por uma empresa prestadora de serviço. Os funcionários são contratados diretamente pela empresa e a direção da unidade não possui qualquer ingerência no sentido de manter ou desligar essas pessoas. A direção do Hospital João Lúcio destacou ainda que a referida empresa está sendo substituída.  

A Susam relatou que está trabalhando junto à Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) a fim de agilizar o pagamento da empresa no mais breve tempo possível.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.