Publicidade
Manaus
EXPLICAÇÃO

Preso, ‘Tio Patinhas’ diz que entrou para o tráfico após perder emprego na Zona Franca

Clemilson dos Santos negou ser mandante de dezenas de homicídios em Manaus, mas afirmou ser integrante da facção criminosa Comando Vermelho 02/07/2018 às 16:47
Show tiopatinhas
Foto: Jander Robson
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Em sete horas de interrogatório na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na Zona Norte de Manaus, Clemilson dos Santos Farias, o “Tio Patinhas”, negou acusações contra ele, fez revelações sobre sua vida pessoal e exlpicou como chegou a ser traficante de drogas.

O depoimento do narcotraficante foi realizado há 15 dias e, diante do delegado titular da DEHS, Jeff Mac Donald, Clemilson negou ser mandante de dezenas de homicídios na cidade, mas afirmou ser integrante do Comando Vermelho (CV) e disse que atualmente comandava o tráfico de drogas de Pernambuco, onde vivia como empresário.

“Ele nega tudo, diz que se fosse mandar matar, mandaria matar os ‘cabeças’ da facção e não soldados pequenos porque se matar um, outro surge no dia seguinte”, resumiu o delegado Jeff Mac Donald, que sob forte esquema de segurança ficou por sete horas conversando com “Tio Patinhas”.

O homem foi conduzido para a sede da DEHS por ter o nome atribuído em vários homicídios da capital. De acordo com o delegado, mesmo com a negativa do traficante, as investigações devem continuar em segredo de Justiça. Segundo Mac Donald, de Pernambuco, “Tio Patinhas” mantinha contato com apenas uma pessoa na capital amazonense, que recebia ordens diretas dele.

“Ele não conhece quem são os debaixo da facção, ele conhece apenas uma pessoa, que dá ordens diretas, apenas uma pessoa”, explicou. Segundo o delegado, durante o depoimento, “Tio Patinhas” inclusive demonstrou ser uma pessoa articulada, com visão de crescimento para comandar uma facção criminosa. Ele é considerado o número 1 do CV em Manaus.

Início do tráfico

Na sede da DEHS, o narcotraficante revelou que entrou para o mundo do crime em 2005, após ser demitido da empresa Panasonic, onde trabalhou por anos como operário de chão, no Polo Industrial de Manaus. Segundo Mac Donald, Clemilson era conhecido na época como “Bebé” e foi mandado embora após a empresa reduzir o quadro de trabalhadores.

“Ele começou a entrar no tráfico depois que saiu da empresa”, enfatizou Mac Donald. Clemilson revelou que ganhou o apelido de “Tio Patinhas” somente em 2015, quando já era considerado um forte traficante e que, certo dia, chegou ao bairro Mutirão, na Zona Norte,onde atuava, com um cordão grosso de ouro e um medalhão do desenho animado “Tio Patinhas”.

Há três anos, ele descobriu que alguns ataques direcionados ao Mutirão, na Zona Norte, seriam contra ele e, por conta disso, resolveu sair de Manaus e morar fora. O traficante do CV revelou que vendeu uma casa no conjunto Campos Elíseos, no bairro Planalto, Zona Centro-Oeste,  e com o dinheiro se mudou e comprou o apartamento em Pernambuco, onde foi preso por agentes da PM e da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai).

“Tio Patinhas” segue preso no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM 2), localizado em ramal no Km 8 da rodovia federal BR-174, em Manaus. Lá, ele está isolado em uma cela sem a presença de outros detentos.

Publicidade
Publicidade