Sábado, 24 de Agosto de 2019
DISPARO

Tiro que matou no pescoço menino de 9 anos em Manaus foi acidental, diz pai PM

Ioseeph, que tinha o sonho de ser biólogo, teria pegado a pistola PT 40 que estava em um armário e atirado, conforme disse o pai, o PM José Ribamar



2cd16996-2578-476a-92e1-b426a738e56e.jpg Foto: Reprodução/Acervo pessoal
11/03/2018 às 19:31

A arma de fogo que matou o menino de 9 anos Ioseeph Bismarque com um tiro no pescoço na tarde deste domingo (11), em Manaus, é uma pistola calibre PT 40 que estaria guardada em um armário na casa de parentes. A informação foi dita pelo pai da criança e dono da arma, o policial militar José Ribamar da Silva Ribeiro, em depoimento à Polícia Civil. Segundo ele, o disparo foi acidental.

Extremamente abalado, o pai da criança se apresentou espontaneamente na sede da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), no Planalto, Zona Centro-Oeste. Antes de iniciar o depoimento, segundo familiares, ele falou para a mãe da criança, Paulina da Silva Lima, de 32 anos, que a pistola PT 40 estava em cima de um armário, e que Ioseeph teria pegado o objeto e efetuado um disparo acidentalmente.

Tudo aconteceu por volta das 13h de hoje (11) na residência de familiares na rua 4 da comunidade Mutirão, bairro Cidade Nova, Zona Norte. Segundo o pai afirmou em depoimento, um primo dele foi quem encontrou o filho com ferimento no pescoço, caído no chão e perdendo bastante sangue. Socorrido e levado a um hospital, Ioseeph não resistiu.


Foto: Antônio Lima

Mais cedo, a mãe do menino, Paulina da Silva, conversou com a reportagem do Portal A Crítica. Ela contou que o filho estava com o pai na casa de parentes da madrasta dele. Também muito abalada, ela disse que Ioseeph era o único filho do casal, que está separado há mais de um ano. O menino morava com Paulina, mas passava os finais de semana com o pai. “Quando eu cheguei no hospital já encontrei o meu filho morto. Agora eu quero saber o que aconteceu com o meu filho”, disse a mãe, chorando.

O caso foi registrado primeiramente no 9º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro São José, Zona Leste, mas depois transferido para a Depca, no Planalto, Zona Centro-Oeste. Após prestar depoimento, foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por omissão de cautela contra o pai do menino, mas nenhum inquérito civil foi instaurado porque, segundo a delegada Juliana Piva, não houve crime. Ao término, o PM foi liberado.

Sonho de ser biólogo

Conforme familiares contaram à reportagem do Portal A Crítica, Ioseeph Bismarque estudava na 4ª série do Ensino Fundamental da Escola do Sesi, na Zona Leste da cidade. Torcedor fanático do time de futebol Flamengo, ele tinha o sonho de se tornar biólogo, queria “ajudar a mãe” e “ser rico”. Apaixonado por animais, Ioseeph adorava visitar os zoológicos do Cigs e do Inpa em Manaus.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.