Publicidade
Manaus
Manaus

Tiro que matou pedagoga saiu da arma de policial militar, confirma corregedoria da polícia

A servidora pública saiu de casa para fazer caminhada e morreu atingida por bala perdida durante um tiroteio. Ela foi baleada no pescoço na manhã desta terça-feira (25),no bairro Coroado 3, Zona Leste 25/08/2015 às 19:05
Show 1
Pedagoga acordava todas as manhãs e fazia caminhada na avenida Beira Mar, no Coroado
Édria Caroline ---

A pedagoga Ana Cristina Ferreira Viana, 49, foi morta com um tiro no pescoço por volta das 5h50 da manhã desta terça-feira (25) quando caminhava na avenida Beira Mar, bairro Coroado 3, na Zona Leste de Manaus. Segundo a corregedoria da polícia, imagens de câmeras de segurança apontam um policial militar como autor do disparo.

De acordo com informações da filha da vítima, Jéssica Cabral, 19, a mãe saiu de casa para caminhar, como fazia todas as manhãs, e não retornou mais.

Segundo Jéssica, a mãe foi atingida com um tiro no pescoço e levada por policiais da 11ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) até o Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, onde não resistiu ao ferimento e morreu, por volta das 6h da manhã.

Segundo vizinhos que não quiseram ser identificados, o fato ocorreu durante troca de tiros entre policiais e bandidos.

Investigação

À tarde, a corregedoria da polícia informou à TV A Crítica que o tiro partiu da arma de um policial militar e que o PM está preso preventivamente. Segundo a corregedoria, imagens de câmeras de segurança implantadas no local revelaram quem foi o autor do tiro.

A suspeita já havia sido levantada mais cedo, quando foi informado que uma investigação aberta na Corregedoria Geral de SSP iria verificar se o tiro que vitimou a pedagoga partiu de um policial ou de um bandido.

O corregedor-geral adjunto, Julio César Queiroz, afirmou que acompanharia as apurações. “Como há essa suspeita, nós estamos acompanhando junto à Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD) da Polícia Militar que está colhendo depoimentos para saber se há envolvimento ou não dos policiais”, disse Queiroz no início da tarde.

Segundo o corregedor adjunto, o Centro de Integrado de Operações de Segurança (Ciops), central de registros da SSP, não foi informado sobre a ocorrência policial na avenida Beira Mar, Coroado, nesta manhã.

De acordo com o corregedor, os policiais que se envolveram no tiroteio foram ouvidos no Comando Geral da Polícia Militar. Antes de confrontados com as imagens das câmeras de segurança, eles teriam dito que encontraram a vítima já baleada e a socorreram, encaminhando-a ao hospital.

*Atualizada às 19h10

Publicidade
Publicidade