Terça-feira, 27 de Outubro de 2020
Manaus

Título eleitoral pode ser regularizado no dia 6 de maio

Os mais de 29 mil eleitores do Amazonas cujos títulos serão cancelados terão outra oportunidade de se regularizar



1.gif Atendimento aos eleitores de Manaus que estão com pendências no documento é feito no CATE atrás do prédio do TRE-AM
27/04/2013 às 12:59

As 29.092 pessoas que terão os títulos de eleitor cancelados porque não regularizaram o documento dentro do prazo estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) poderão voltar a normalizar a situação a partir do dia 6 de maio. A informação foi dada, nesta sexta-feira (26), pelo coordenado de Logística do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), Marcelo Lira.

De acordo com o coordenador, o sistema do TSE ficará suspenso por cerca de duas semanas para consolidação dos dados de todos os Estados. O TSE divulgou, nesta sexta-feira, que as informações sobre cancelamento de títulos em todo País serão divulgados até o dia 14 de maio. Segundo Marcelo Lira, a divulgação depende da geração de estatística, mas a volta do funcionamento do sistema para que os títulos sejam reemitidos ocorre em duas semanas. “O sistema fica esse tempo em processamento e não pode ser acessado. Se o eleitor que não buscou a regularização dentro do prazo, durante esse período, precisar da quitação eleitoral não terá acesso”, disse.



Na verdade, o período que o eleitor fica com o título cancelado e sem poder reverter a situação, caso queira, é apenas duas semanas. Marcelo Lira explicou que o prazo dado para regularização junto à Justiça Eleitoral de quem fica por três eleições seguidas sem votar, na verdade, tem como principal objetivo depurar os cadastros eleitorais em todo País. O TSE depura os cadastros a cada ano pós-eleição. “Na verdade, é para depurar o cadastro. Depura o banco de dados”, declarou.

Marcelo Lira disse que os cartórios são responsáveis por mandar listas mensais de óbitos, mas o cancelamento de títulos de pessoas que ficaram três pleitos seguidos sem votar é mais eficaz na identificação do eleitor morto. O coordenador de logística afirma que a medida evita fraudes eleitorais, como o uso de um título de um morto numa votação.

No Amazonas, segundo a assessoria de comunicação do TRE-AM, havia 32.0800 títulos de eleitores que estavam sem votar a três pleitos seguidos. Destes, apenas 9,33% (2,995) compareceram para regularizar a situação até o final do prazo, na quinta-feira. De acordo com a assessoria do TRE-AM, a média ficou acima da nacional que foi de 8,93% de regularizações. Ainda segundo a assessoria, em geral, é baixa a regularização dentro do prazo estabelecido nos anos ímpares.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.