Publicidade
Manaus
Manaus

TJ-AM: empenhos com passagens e locomoção são 33 vezes maiores que em 2013

No detalhamento que mostra a natureza das despesas é possível notar, ainda, que o valor empenhado em janeiro de 2013 pelo Poder Judiciário para este tipo de despesa corresponde a 36,4% do total empenhado durante todo o ano de 2012, que chegou a R$614,5 mil 31/01/2013 às 20:57
Show 1
Tjam
Ana Carolina Barbosa Manaus

O Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (Tjam) empenhou, em janeiro deste ano, R$ 223,8 mil para despesas com passagens e locomoção. O valor é 33 vezes maior que igual período de 2012, quando o empenho total chegou a R$6,7 mil. As informações estão disponíveis para pesquisa no portal da Transparência do Governo do Estado (www.transparencia.am.gov.br).

No detalhamento que mostra a natureza das despesas é possível notar, ainda, que o valor empenhado em janeiro de 2013 pelo Poder Judiciário para este tipo de despesa corresponde a 36,4% do total empenhado durante todo o ano de 2012, que chegou a R$614,5 mil.

Do total empenhado em janeiro deste ano para gastos com passagens e locomoção, R$ 1,1 mil foi liquidado/pago, o equivalente a 0,5%, segundo a tabela do portal.

Em contrapartida, o empenho total do Tjam para despesas com pessoal e manutenção do Poder Judiciário, em janeiro deste ano, foi inferior ao total empenhado em janeiro do ano passado. Passou de R$37,3 milhões (R$ 30,4 milhões liquidados/pagos) para R$ 26,5 milhões (R$ 108,6 mil liquidados/pagos), uma redução de 29%. Embora o empenho não represente, em suma, o gasto total, é uma das fases para que ele ocorra. O valor pode ser utilizado conforme a necessidade do órgão.

A assessoria do Tjam informou que irá levantar as informações para justificar o aumento no valor do empenho com este item junto à Secretaria Geral do órgão.

Procurada às 16h15 desta quinta-feira (31/01), a assessoria informou, ainda, que não poderia repassar informações hoje por conta do horário, mas afirmou que o benefício pode ser utilizado por qualquer servidor do órgão e não apenas por juízes e desembargadores.

O presidente do Tjam, desembargador Ari Jorge Moutinho, não foi localizado para falar sobre o assunto, uma vez que está em deslocamento para Brasília, onde participará, na próxima sexta-feira, da abertura do Ano Judiciário.


Publicidade
Publicidade