Publicidade
Manaus
Manaus

Trabalhadores de construção civil protestam em refinaria da Petrobras por atraso de salários

Protesto ocorreu na refinaria Isaac Sabbá (Reman). Funcionários são da empresa ELF Engenharia, terceirizada da Petrobras 18/03/2015 às 10:23
Show 1
Trânsito nas proximidades da refinaria ficou congestionado
VINICIUS LEAL Manaus

Cerca de 100 trabalhadores de construção civil que prestam serviço terceirizado para a Petrobras realizaram um protesto na manhã desta quarta-feira (18) na Refinaria Isaac Sabbá (Reman), no bairro Distrito Industrial, em Manaus, reivindicando pagamento de salários atrasados.

O trânsito nas proximidades da refinaria ficou congestionado por conta do ato. A rua que dá acesso à Reman, a rua rio Quixito, Vila Buriti, Distrito Industrial, ficou com uma longa fileira de veículos por conta do protesto. O protesto iniciou às 7h e terminou por volta das 9h.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Petróleo (Sindipetro), Acácio Viana, a empresa que presta os serviços terceirizados de construção civil para a Petrobras, e que é a responsável pelo pagamento dos salários, é a ELF Engenharia.

“Somos a favor do ato. Eles têm nosso apoio. Geralmente é a empresa que não cumpre os direitos trabalhistas”, afirmou Acácio. Segundo ele, a ELF Engenharia presta serviços de manutenção e empreendimento na Refinaria Isaac Sabbá (Reman).

Refinaria

Localizada à margem do Rio Negro, a Reman existe desde 1957 e foi incorporada à Petrobras em 1974. Com capacidade de 46 mil barris/dia, a refinaria tem três portos de recebimento e entrega de derivados e abastece os estados do Pará, Amapá, Rondônia, Acre, Amazonas e Roraima.


Terceirizada

A ELF Engenharia é uma empresa criada em 2004, que tem sede em Salvador (BA) e trabalha com construção civil industrial, gestão de engenharia e gerenciamento de projetos, conforme site da empresa. Um dos clientes da ELF é a Petrobras.

Audiência

Na manhã desta quarta (18) foi programada uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Amazonas para debater a situação da Petrobras e dos trabalhadores, com a presença de representantes da empresa, dos trabalhadores e parlamentares.

Publicidade
Publicidade