Publicidade
Manaus
Manaus

Trabalhadores do Shopping Ponta Negra paralisam atividades nesta segunda-feira

Eles trabalham para 20 empresas terceirizadas e reivindicam melhores condições de trabalho. De acordo com denuncia feita por um trabalhador, que não quis ter o nome revelado, a situação de trabalho é precária, estaria faltando até água para beber no local 11/03/2013 às 09:45
Show 1
Os trabalhadores cruzaram os braços até que haja um posicionamento da empresa e do Ministério Público
acritica.com* Manaus

Cerca de mil funcionários que trabalham na construção de um shopping center no bairro Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus, cruzaram os braços na manhã desta segunda-feira (11) e paralisaram suas atividades no canteiro de obra. Eles alegam que há atraso no pagamento de salários e condições precárias de trabalho.

Os funcionários trabalham para vinte empresas terceirizadas e reivindicam melhorias na água fornecida aos trabalhadores; contratação efetiva de cerca de 40 destes funcionários; pagamento do salário atrasado, a diminuição do percentual de desconto do vale transporte; a cesta básica e a limpeza dos alojamentos da obra.

De acordo com denúncia feita pelo trabalhador Rigoberto dos Santos, de 52 anos, a situação de trabalho é precária, até água para beber no local estaria faltando. “Não temos água para beber e até mesmo para misturar o cimento, quando a empresa fornece água, ela está suja. A cesta básica que era para nós recebermos, nunca foi dada aos funcionários, além do atraso do salário e a alimentação ruim servida aos trabalhadores’’, falou mostrando indignação.

Outra dificuldade seria o alto desconto nos contracheques por conta do auxílio transporte acima do percentual exigido pela Lei 7.418/1985. No local, eles aguardam a chegada de representantes do Ministério Público Estadual (MPE-AM) e das empresas Ralc Construções e JHSF Empreendimentos, que administram as terceirizadas.

Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil do Estado do Amazonas (Sintracon), Cícero Custódio, os trabalhadores cruzaram os braços até que haja um posicionamento da empresa e do Ministério Público.

“Os trabalhadores não vão voltar aos trabalhos até que seja feito as melhorias, há duas semanas o MPE esteve na obra e deu um prazo de 15 dias para que as reivindicações da categoria fossem atendidas. Este prazo expirou e agora vamos ver como vai ficar a situação chamando novamente”, declarou.

Nota da direção do estabelecimento

Em nota, o Shopping Ponta Negra afirmou que todas as providências foram tomadas para sanar, em tempo hábil, os problemas decorrentes da falta de água no canteiro de obras. “O problema já foi solucionado, no entanto a equipe de engenharia continua em vistoria para levantar a causa e tomar providências preventivas para que tais fatos não possam mais acontecer. Vale ressaltar que o calendário de trabalhos continua inalterado e a inauguração do centro de compras está confirmada para junho de 2013”.

Conforme a empresa, o empreendimento, que viabilizará a criação de mais de 2 mil postos de trabalho e investimentos de R$ 197,6 milhões, está sendo erguido de acordo com os padrões da empresa, que se pautam na mais rigorosa qualidade e seguindo o que determinam as normas voltadas para obras de grande porte na cidade de Manaus.

O Shopping Ponta Negra também esclarece que não há qualquer pendência salarial com seus funcionários. Em relação às empresas terceirizadas, o empreendimento intercederá para corrigir quaisquer eventuais inconformidades em relação aos seus colaboradores.

*Com informações da jornalista Bruna Souza

Publicidade
Publicidade