Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
publicidade
morro.JPG
publicidade
publicidade

TRÁFICO MANDA

Traficantes do Morro da Liberdade ordenam que moradores não saiam de casa

Após a morte do traficante conhecido como ‘Leleo’, criminosos que comandam a área ordenaram aos moradores que não saiam de casa depois das 20 horas


11/04/2017 às 09:46

O MANAUS HOJE descobriu que após a morte do traficante Leonardo Almeida de Souza, o vulgo “Leleo”, ocorrida na última sexta-feira (7), na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), mensagens de áudio ameaçadoras chegaram a celulares de conhecidos dos traficantes do bairro, que se encarregam de passar a outros moradores. O detento morto era morador e conhecido no Morro da Liberdade.

As mensagens informam aos residentes que ninguém pode ficar na rua após as 20h. Os moradores que preferiram não ser identificados, confirmaram ontem a reportagem que o toque de recolher começou na sexta-feira, pouco antes de um tiroteio na rua Santa Rosa, que dá acesso ao Beco São Domingos, no horário indicado.

A troca de tiros que aconteceu na sexta-feira teria sido provocada por inimigos do traficante morto pertencentes a um grupo rival do bairro Mauazinho, na zona Leste.

“A maioria das pessoas nem levou em consideração porque estamos acostumados a ficar na rua até um pouco mais tarde. Pelo menos umas 50 pessoas estavam aqui pela rua quando vimos dois carros de cor prata passar lá para baixo. Depois disso só ouvimos os tiros”, contou um homem que mora no local há mais de 30 anos.

Segundo uma moradora, homens encapuzados desceram dos veículos e trocaram tiros com bandidos que residem no local. Eles estariam procurando por um “soldado” conhecido como “Faísca” e outro homem identificado como Adriano. Ambos seriam irmãos de Formiguinha, que também foi assassinado na UPP. Eles também buscavam por parentes de Leleo.

Ninguém morreu durante a troca de tiros, mas os moradores estão assustados com a insegurança.

“Não estou dizendo que era bom, mas antes era mais tranquilo e agora não sabemos de quem sentir medo, não sabemos quem são os bandidos que vieram aqui, se são da FDN ou se são do PCC. Só sabemos que estão brigando pelo tráfico aqui da área e que estão prontos para matar”, contou.

O tráfico era dominado pelo traficante conhecido “Parazinho”, que está em prisão federal desde maio do ano passado. No lugar dele, o traficante conhecido como “Roni” assumiu. Depois deles, Faísca tomava conta do tráfico

Ontem, outra vez

Ontem à noite uma moradora do Morro confirmou a equipe que o toque de recolher foi reeditado na rua Santa Rosa.

O recado dado via áudio de Zap é espalhado pelas ruas e, diferentemente de sexta-feira, agora todo mundo fica quieto em casa, esperando que algum novo tiroteio ou homicídio possa acontecer. Carros e motos dos traficantes são os únicos autorizados a circular na hora da proibição.

Polícia diz que está nas ruas

Desde sexta-feira os moradores estão obedecendo o toque de recolher e se trancam em casa enquanto os bandidos andam soltos pelas ruas do bairro. A população denuncia a falta de policiamento nas ruas e pede que haja uma atenção do poder público ao local. A reportagem pediu um posicionamento da polícia. A Polícia Militar informou que já intensificou o policiamento através da 2ª Cicom com viaturas de quatro e duas rodas, além de duas viaturas da Rocam, que fazem o patrulhamento para tentar diminuir as ocorrências devido ao tráfico de drogas que é forte no bairro.

“Nós temos medo até de sair de casa. Minhas filhas saem para ir à igreja com a vizinha e eu fico com medo da hora que elas vão chegar”, disse uma moradora.

publicidade
publicidade
Moradores de Suzano lembram um mês do massacre em escola de São Paulo
Dez militares são presos após ação que terminou em morte no Rio de Janeiro
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.