Publicidade
Manaus
Manaus

Trânsito fica complicado em vias próximo a escolas em Manaus

Congestionamentos em ruas da capital prejudicam pais e estudantes que chegam a colégios por meio de carro e ônibus 11/02/2015 às 10:24
Show 1
Na frente das maiores escolas da cidade é comum o trânsito ficar congestionado nos horários de entrada e saída. Até parada de carros em fila dupla se formam para pegar ou deixar os estudantes
Oswaldo Neto ---

As redes Municipal, Estadual e privadas de ensino já iniciaram o ano letivo e, com isso, o aumento do fluxo de veículos nas ruas é um dos principais motivos de estudantes chegarem depois do horário permitido. O congestionamento provocado em momentos de pico como os de entrada e saída é uma das justificativas.

No Centro Educacional Latu Sensu do bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul, as aulas começaram na última segunda-feira. Ontem, o engarrafamento na saída escolar causou transtorno para quem passava pela Rua C-5. A enfermeira Luiza Bacelar, 40, deixava sua filha de 15 anos na escola e afirma que o congestionamento já chegou a impedir que a jovem entrasse no colégio. “É muito complicado e isso acontece todos os dias porque aqui não é só quem estaciona pra escola. Ali mesmo tem um estacionamento. O problema é que muita gente usa essa rua pra cortar caminho. Aí junta esses dois problemas e todo mundo fica atrasado”, explicou.

A situação encontrada na avenida Dom Pedro, bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste, foi ainda pior. As duas vias da avenida que passam pelo Centro Educacional La Salle estavam completamente congestionadas por volta das 13h de ontem. A estudante Larissa Santana, 16, saía de um ônibus da empresa Via Verde que pifou na via. Ao ser questionada sobre o “atraso”, ela afirma “ser impossível” ir pra escola utilizando o transporte coletivo.

“Não dá. É impossível não chegar atrasada com esse engarrafamento. Se for de ônibus, ele ainda fica no ‘prego’. Quando não é um problema é outro”.

Adequações

Entendendo que a área é de grande fluxo de veículos , o colégio La Salle adequou recentemente a entrada do colégio com um recuo para veículos. A alternativa já é usada em algumas paradas de ônibus da capital para evitar que ônibus estacionem na rua durante o embarque.

Segundo a funcionária pública Beatriz Lopes, 38, a obra melhorou parcialmente a situação de pais que deixam seus filhos na escola. “Só não é melhor porque o engarrafamento não é aqui na frente, mas até lá em cima. Pelo menos agora dá pra parar e ela (filha) descer em segurança. Antes não dava pra parar aqui e às vezes precisei estacionar do outro lado da rua pra buscá-la aqui”, explicou Beatriz.

Na opinião do empresário Carlos Ribeiro, 53, a medida deveria ser seguida pelas redes municipal e estadual de ensino. “É uma boa alternativa, já que o engarrafamento vai continuar. Isso também seria bom para aquelas escolas que tem muitos alunos. Ia melhorar o trânsito e dar mais segurança”, finalizou.

Rede pública

Aproximadamente 400 mil estudantes iniciaram o seu ano letivo na rede pública estadual de ensino na semana passada. O pontapé foi dado pelo governador José Melo na Escola Estadual de Tempo Integral Santa Terezinha, no bairro Adrianópolis.

Conforme estabelecido em calendário escolar, em 2015, o ano letivo da rede pública estadual de educação se estenderá do dia 4 de fevereiro a 11 de dezembro, compreendendo 200 dias letivos. O calendário será válido para 582 escolas que hoje compõe a rede pública estadual de educação, das quais 223 estão situadas em Manaus e 359 no interior do Amazonas. a rede pública conta atualmente com 18.569 professores.

Publicidade
Publicidade