Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
Desastre

Traumatizados, moradores relatam cenas de horror após acidente com fiação elétrica

Quem presenciou o acidente e até quem não estava no local está com medo de andar nas ruas do bairro



1.JPG A dona de casa Maria Marluce sofreu queimaduras nos braços, mãos e pés (Fotos: Euzivaldo Queiroz)
07/06/2016 às 09:53

Em uma casa simples, alugada e com poucos móveis, o estudante Irlan do Nascimento Rodrigues, 10, procurava uma fotografia dos pais,  o sucateiro Valdemir Rodrigues, 40, e a dona de casa Valdeana Nascimento, 28, que faleceram na noite de domingo, enquanto participavam de um bingo interrompido por um cabo de energia que rompeu e atingiu quase 20 pessoas na rua Oriente, comunidade da Sharp, Zona Leste de Manaus.  

“Eles estavam se programando para mudar de casa no próximo mês, que é maior e deixaria a família mais confortável”, contou Gerson de Souza, 40, proprietário da vila onde o casal morava com os três filhos. Todos sobreviveram, mas até ontem, apenas Irlan tinha recebido alta. Outras duas filhas do casal, Larissa Emanuelle, de 11 meses, e Lara Ester, de três anos, também foram atingidas e continuam internadas no Hospital da Criança Joãozinho. A mais nova está em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), depois de ter passado por um procedimento cirúrgico. 

 Filho mais velho do casal falecido, Irlan do nascimento, também se recupera de choque 

A irmã de Valdemir, Cristiane Tavares da Silva, 30, conta que todos estão muito abalados. O casal frequentava a igreja e gostava de assar peixes aos domingos, exatamente como fizeram no último dia de vida. “Foi uma tragédia em nossa família. Eles eram felizes, meu irmão me ligava contando os planos deles. Estavam frequentando a igreja e sempre que podiam participaram do bingo da comunidade, aos domingos".
 
As vítimas moravam em Manaus há pouco mais se sete anos. Na tarde da última segunda-feira (6), o corpo do casal foi levado ao Maranhão, estado natal, onde serão enterrados na presença dos outros parentes e dos pais. “Vou ficar uns dias com meus avós, e depois eu e minhas irmãs devemos ficar com nossos tios”, disse Irlan, ainda em estado de choque e muito preocupado com a situação de saúde das irmãs mais novas. 

‘Trauma’

Traumatizados, os moradores estão com medo de sair nas ruas.  A dona de casa Maria Marluce Procópio, 38, estava no momento do acidente. Ela sofreu queimaduras leves. “Foram cenas de terror. Estou traumatizada e penso que a qualquer momento uma fiação vai desabar. O casal que faleceu era muito querido, estamos muito tristes pelos filhos dele e torcendo para que as outras pessoas que estão internadas se recuperem”, diz.

Ela contou ainda que, no momento do acidente, apenas dois frangos e um jogo de taças haviam sido ‘bingados’. “Era o início da nossa confraternização. Nós sempre participávamos do bingo para arrecadar dinheiro para a igreja. O pior é saber que nós já havíamos ligado para a Eletrobrás Amazonas Energia diversas vezes para falar que o fio estava roído".

Natanael da Silva e Silva, aos 13 anos, salvou a vida da pequena Larissa Emanuelle, filha mais nova do casal que faleceu. “Ela estava no colo do pai. Quando o fio caiu, foi “lapeando” todo mundo. A garota estava no colo dele, tomando choque. Eu não pensei duas vezes, fui para cima, abri os braços dele e a retirei, mas também tomei choque. Ele já estava morto, e a criança, aparentemente, também. Mas a levamos para o hospital e ela voltou a respirar”, relata, emocionado.

Justiça

Pedro Paulo Ferreira, 41,  também está traumatizado e afirma que irá processar a concessionária. O filho dele, Pedro Ferreira Neto, 11, está internado junto com os amigos Vítor Marques, 14, e Raiane Souza,17, que está em estado grave  no Hospital Joãozinho, respirando através de aparelhos. "Quando vi meu filho caído, com o fio no pescoço dele, não pensei duas vezes e fui salvá-lo. Também peguei a corrente de choque que estava no corpo dele, mas infelizmente meu filho sofreu muito".

Ele disse que a família vai entrar na Justiça, pois não recebeu nenhum apoio da empresa Eletrobrás Amazonas Energia. “Eles não estão nos ajudando em nada. Apenas prestaram assistência pra a família do casal que faleceu. Foi uma tragédia anunciada, pois pedimos providências diversas vezes sobre esta fiação, e eles nunca resolveram nada e agora estão colocando a culpa nos ‘papagaios”. 

A Eletrobrás, no entanto, informou que “a assistência social da empresa está prestando todo o auxílio necessário às famílias, acompanhando o estado de saúde e atendimento aos feridos e, inclusive, providenciando a remoção das vítimas fatais para o Maranhão, seu estado de origem”.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.