Publicidade
Manaus
COLIGAÇÃO CONTESTADA

TRE-AM julga caso envolvendo partidos de esquerda na semana que vem

Direção nacional do PT pediu inclusão do PCdoB na aliança que lançou David Almeida como candidato ao governo 16/08/2018 às 21:11
Show juiz ff1d21e5 6251 40a9 874e 307cafdaa94f
Juiz Marco Antonio Pinto da Costa é o relator da ação movida pela presidência do PT. Foto: Reprodução/Internet
Larissa Cavalcante Manaus (AM)

Caberá ao pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-AM) julgar a confusão causada na construção da coligação dos partidos de esquerda no Amazonas. O juiz Marco Antonio Pinto da Costa é o relator da ação movida pela presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), senadora Gleisi Hoffmann, que pede para coligação “Renova Amazonas”, formada pelo PT e o PSB, inclua o PCdoB na chapa para as eleições de outubro e o nome da senadora Vanessa Grazziotin, candidata à reeleição. Caso a inclusão não seja feita, a Executiva Nacional do PT poderá anular a aliança.

De acordo com o assessor jurídico do TRE-AM, Leland Barroso, a previsão é que o processo da esquerda seja levado a julgamento na próxima semana.

A briga tem como pano de fundo a candidatura à reeleição da senadora Vanessa que foi vetada para concorrer na Coligação “Renova Amazonas”, do candidato ao governo David Almeida (PSB), formada pelas siglas Podemos, PMN, PSB, PT e PROS. A aliança entre o PT e o PSB no Amazonas faz parte de uma articulação nacional, que envolve a posição de neutralidade do PSB na disputa à Presidência da República.

Nos últimos minutos do prazo para o registro da candidatura, o PCdoB registrou a coligação “O Povo Feliz de Novo”. Os comunistas incluíram o PT na aliança.

No DivulgaCand (Divulgação de Registro de Candidaturas) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), consta o registro de candidatura à reeleição da senadora Vanessa, a ex-vereadora Lúcia Antony como candidata ao governo e o sindicalista Ademir Caetano como vice na chapa partidária.

Contestação

O Ministério Público Eleitoral (MPE) têm até a próxima quinta-feira (23) para impugnar os pedidos de registro de candidatos apresentados pelos partidos políticos ou coligações. Qualquer candidato, partido, coligação pode também impugnar os pedidos de registro de candidatura.

Um dos documentos usados pelo MPE para a impugnação é a lista de candidatos inelegíveis com contas reprovadas nos últimos oito anos entregue pelo Tribunal de Contas do Estado e pelo Tribunal de Contas da União.

Em números

801 é o número de registro de candidaturas no Amazonas, segundo estatísticas da Justiça Eleitoral. Do total de candidatos, sete disputam o governo do Estado, sete a posição de vice-governador, nove buscam o mandato de senador, 628 a vaga de deputado estadual e 132 de federal.

PT nacional fez o acordo

Em ata da reunião extraordinária da Executiva Nacional do PT, do dia 10 de agosto, a presidente nacional da sigla, senadora Gleisi Hoffmann, aprova a anulação parcial da convenção estadual do PT-AM, realizada no dia 5 deste mês, especialmente, a participação da legenda na coligação para eleição de cargos majoritários.

No documento, o diretório nacional decide que a coligação para os cargos majoritários seja composta pelo PT e PCdoB tendo como candidata ao Senado Vanessa Grazziotin.

“Para nós, isso é matéria vencida. O PT não pertence a coligação do David Almeida. (a coligação) Não está em debate. Não compete à Justiça Eleitoral decidir sobre os partidos que se colidam, é prerrogativa privativa dos partidos”, disse o presidente estadual do PCdoB/AM, Eron Bezerra.

Procurado, o presidente estadual do PT, Sinésio Campos afirmou que a legenda segue na coligação Renova Amazonas e sobre o impasse com o PCdoB declarou que faltou entendimento entre os demais partidos que compõem a chapa.

Publicidade
Publicidade