Publicidade
Manaus
Manaus

Tremor sentido em Manaus é conhecido como fenômeno da ‘ressonância’

Geólogo explica que a onda sísmica do terremoto pode ter coincidido com a oscilação natural dos edifícios e prédios 26/11/2015 às 08:33
Show 1
Assustados, várias pessoas evacuaram os prédios com medo do tremor
Marcela Moraes ---

O geólogo do Departamento Nacional de Proteção Mineral (DNPM), Fred Cruz, informou, ontem, que o tremor de terra sentido em alguns prédios e edifícios em Manaus em decorrência do terremoto que atingiu a região leste do Peru na última terça-feira deve-se ao fenômeno da ressonância.

“Cada objeto, inclusive edifícios, têm um período característico de oscilação natural. Quando a onda sísmica atinge a base de um prédio, pode coincidir com sua oscilação natural e nesses casos, surge o fenômeno físico denominado ressonância, no qual ocorre transferência de energia de um sistema oscilante para o outro”, concluiu.

O terremoto no Peru propagou efeitos que foram sentidos em vários bairros de Manaus, inclusive em municípios do interior. A notícia se espalhou rapidamente por meio das redes socias.

De acordo com o geólogo, o terremoto pode ser desencadeado por fatores como atividade vulcânica, falhas geológicas e, principalmente, pelo encontro de diferentes placas tectônicas. No caso de terça-feira, o terremoto aconteceu a 1.473,30 quilômetros de Manaus.

Quando ocorrem terremotos são liberadas vibrações sísmicas, essas vibrações se propagam pelo interior da terra. “Manaus está sobre uma bacia sedimentar que, por essa bacia não ser uma região bem consolidada as ondas sísmicas são amplificadas” explicou.

O Corpo de Bombeiros registrou mais de 100 ocorrências em diversas áreas de Manaus, deste total pelo menos 39 registros foram feitos em condomínios. De acordo com o tenente Janderson Lopes, foram muitas chamadas e a quantidade foi maior que a capacidade de atendimetos. “Foram diversas chamadas e várias delas ficaram em espera, sem serem registradas”, disse.

O tenente afirma que alguns prédios foram vistoriados, principalmente aqueles que informaram existir rachaduras ou vazamento de gás. “Nas ocorrências em que as esquipes foram in loco, não foram detectados nenhum tipo de problema, a maioria era questão de pânico”, completou.

Orientações

Algumas ocorrências que o Corpo de Bombeiros registraram orientaram a acionar o síndico ou seguranças do prédio para realizarem uma vistoria nos subsolos, na região da coluna e vigas além, de procurar possíveis rachaduras.

Publicidade
Publicidade