Publicidade
Manaus
Manaus

Triatleta morre ao ser atropelado por picape enquanto treinava ciclismo na rodovia AM-070

Eldes Ayres de Oliveira Júnior, que na última sexta-feira (29) ganhou o primeiro lugar em uma das categorias da edição de Carnaval da Pan Night Run, ainda foi arrastado por 20 metros antes de falecer no local. Motorista, que transportava peixes do tipo bodó na carroceria de seu veículo, foi conduzido ao 31º DIP, no município de Iranduba, onde presta depoimento.  01/03/2016 às 10:49
Show 1
Acidente fatal ocorreu no KM 19 da rodovia AM-070, que liga Manaus aos municípios de Iranduba e Manacapuru
fábio oliveira e victor affonso Manaus e Iranduba (AM)

O triatleta Eldes Ayres de Oliveira Júnior, de 35 anos, morreu ao ser atropelado na rodovia estadual AM-070, que liga Manaus aos municípios de Iranduba e Manacapuru. O acidente, causado por uma picape, aconteceu por volta de 7h40 deste domingo (31) no KM 19, enquanto o atleta treinava na pista.

Eldes ganhou, na última sexta-feira (29), a primeira posição na edição de Carnaval da corrida Pan Night Run correndo pela escola de samba A Grande Família, que traz como tema este ano a "Paz no Trânsito".

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o triatleta treinava na pista quando uma picape modelo Nissan Frontier, de cor branca e placas JXR-5647, conduzida pelo motorista identificado como Ronaldo Rodrigues da Costa, o atingiu. Segundo testemunhas, Eldes estava próximo ao acostamento da rodovia. 

O atleta foi arrastado por alguns metros e morreu no local. Já o motorista perdeu o controle da picape e parou numa área verde, com a carroceria do veículo quebrada. Ainda conforme testemunhas, Ronaldo trabalha como motorista e com a venda de peixes. No momento do acidente, ele transportava vários peixes do tipo bodó, que ficaram jogados no local.

A vítima tinha migrado para o triathlon há pouco tempo, e atualmente integrava a equipe 3Sports (Foto: Reprodução/Facebook)

Ronaldo Rodrigues foi conduzido até o 31º Distrito Integrado de Polícia (DIP), em Iranduba, onde foi ouvido pelo delegado na companhia de seu advogado. Ele vai responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar

Conforme o ciclista e mecânico de bicicletas Adílio Marques, de 37 anos, colega da vítima fatal e testemunha ocular de todo o incidente, Eldes treinava na companhia de mais sete amigos na manhã deste domingo. Ele pedalava no sentido Manacapuru-Manaus quando foi atingido e, no momento do acidente, estava sozinho por estar mais à frente do que seus companheiros.

Adílio, que vinha pedalando no sentido oposto da rodovia, afirma que a picape trafegava numa velocidade de cerca de 80 km/h. Quando atingiu o triatleta, o veículo ainda o arrastou por cerca de 20 metros. Adílio comenta ainda que, ao sair do veículo, o motorista parecia desorientado. "Na hora, parecia que ele tinha dormido no volante", diz.


A bicicleta de Eldes ficou destruída após o acidente (Foto: Divulgação)

Paz no trânsito?

Menos de 40 horas antes do acidente que tirou sua vida, Eldes foi o maior destaque da escola de samba A Grande Família na Pan Night Run da última sexta-feira, ao cruzar a linha de chegada da corrida urbana noturna em primeiro lugar na categoria amador, naquela que viria a ser sua última prova realizada. Ele completou os 7,5 km num tempo oficial de 31 minutos e 12 segundos.

Coincidentemente, o tema que a escola leva à avenida do Sambódromo manauara em menos de uma semana é justamente "Paz no Trânsito".

Para o presidente da Federação Amazonense de Triathlon, Antônio Neto, cada treino representa um verdadeiro risco. "A gente já tem dificuldade por não termos um local apropriado para treinos, tem que se arriscar na estrada, mas não vejo uma fiscalização forte por parte dos órgãos competentes (na rodovia AM-070)", diz.

"Quando estamos pedalando, dá para ver muitos caminhões velhos andando em alta velocidade, vários com carregamento de tijolos, e apesar de ter aquela barreira policial, eles quase não são parados. Então ao meu ver o que falta mesmo é uma fiscalização mais séria. Não sei se é pouco efetivo disponível, não sei, mas deixa a desejar", acrescenta Neto. 

"É lamentáel, hoje perdemos um pai de família, que deixa dois filhos. Se não tomarem uma providência de efeito, vamos continuar vendo esses crimes. Até as pessoas que usam bicicleta para ir ao trabalho também estão morrendo. Quantos ainda precisam morrer?", indaga. Neto, que durante a manhã esteve na delegacia confortando a família de Eldes, adianta que os atletas colegas planejam para o próximo sábado (6) uma manifestação pacífica, "para que olhem para essa situação", explica.

Publicidade
Publicidade