Terça-feira, 24 de Setembro de 2019
SANGUE FRIO

Trio é julgado nesta quinta (22) por tortura e morte de autônomo em Manaus

Josimar Vasquez de Vasconcelos, 18, foi amarrado, torturado e enterrado vivo em uma área de mata do bairro Monte das Oliveiras.



f_rum_18DBC050-D6DA-496A-BD68-C16868CF8647.JPG O julgamento será presidido pelo juiz Celson de Paula, da 1ª Vara do Tribunal do Júri. Foto: Divulgação
22/11/2018 às 01:01

A Justiça do Amazonas vai julgar nesta quinta-feira (21) Ismael da Silva Souza, o “Ismaelzinho”, Roberto Carlos da Silva Penha, o “Jojó”,  e Alex Júnior Barbosa dos Santos, o “Júnior”. O trio é acusado de ter amarrado, torturado e enterrado vivo o autônomo Josimar Vasquez de Vasconcelos, 18, no dia 29 de setembro de 2014. O julgamento será presidido pelo juiz da 1ª Vara do Tribunal do Júri Celso de Paula.

O julgamento está marcado para começar por volta das 9h no plenário do fórum Henoch Reis, onde os réus terão na defesa defensores públicos e na acusação,  a promotora de Justiça Maria Betusa.  A sessão de julgamento ainda não tem hora para terminar, de acordo com o magistrado, por se tratar de um crime de homicídio qualificado e com três réus.

De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM), assinada pelo promotor Lauro Tavares da Silva, o crime aconteceu na comunidade Agnus, bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte da cidade. No dia do ocorrido, a vítima caiu numa emboscada armada por Ismaelzinho,  a quem considerava como amigo.

Ismael convidou Josimar para usarem droga em um local de mato e, quando chegaram lá,  já estavam os demais envolvidos, além de adolescentes identificados como “Pequeno” e “Bolacha”.  Ismael levou  consigo um cabo de televisão que foi usado para amarrar os pés, as mãos e o pescoço da vítima a mando de Jojó.

Crueldade

Segundo a denúncia, foi Ismaelzinho quem cavou o buraco para enterrar a vítima, enquanto o jovem  era espancado pelos demais. Pequeno e Bolacha vigiavam o local para garantir a execução de Josimar, que recebeu vários golpes de enxada e em seguida foi enterrado vivo. De acordo com o laudo de necropsia, a morte foi causada por asfixia mecânica e por estrangulamento.

O corpo de Josimar foi encontrado no dia 2 de outubro do mês seguinte, pelo pai da vítima, que foi procurado por Ismaelzinho que lhe contou onde a vítima estava enterrada. O crime foi classificado como homicídio qualificado, por motivo torpe, asfixia meio cruel, com no uso de emboscada.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.