Sábado, 22 de Fevereiro de 2020
Arrematado

Tropical Hotel é comprado por R$ 260 milhões durante leilão no RJ

Empreendimento foi adquirido por um empresário residente em São Paulo. Ao todo, o complexo hoteleiro recebeu três lances



hotel_hotel_08260946-E04C-4FED-8317-8FA277B63F0A.jpg Foto: Reprodução/Internet
12/02/2020 às 12:03

O Tropical Hotel Manaus foi arrematado pelo valor de R$ 260 milhões durante leilão realizado pelo Sindicato dos Leiloeiros do Rio de Janeiro, na tarde da última terça-feira (11), na capital carioca. O complexo localizado no bairro Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus, foi adquirido por um empresário chamado Otacilio Soares de Lima.

Fechado desde maio de 2019, o hotel suspendeu as atividades comerciais após a Amazonas Energia cortar o fornecimento do local devido a uma dívida estimada em R$ 8 milhões. À época, segundo a concessionária, por mais de 20 anos ocorreram tentativas de negociações com a diretoria do empreendimento para o pagamento da dívida.



De acordo com a auto de arrematação, o Tropical Hotel recebeu três lances. O primeiro da empresa Nyata Serviços Financeiros Ltda, de Manaus, no valor de R$ 135 milhões; o segundo da empresa Geretepaua Engenheira Ltda, de Belém, no valor de R$ 255 milhões; e o último foi de R$ 260 milhões do empresário que reside em São Paulo.  

O arrematante tem o prazo de 20 dias corridos para depositar o valor, até a data limite de 02/03/2020, e pagar as custas cartoriais de 1%  até o máximo permitido por lei.

Celebrado

O presidente do Sindicato dos Empregados do Comércio Hoteleiro do Estado do Amazonas (SindHotel-AM), Gerson Almeida, comemorou a compra do complexo, pois o Tropical terá como arcar com as dívidas trabalhistas que chegam, segundo o sindicalista, a aproximadamente R$ 30 milhões. Ele afirma ainda que cerca de 350 ex-funcionários devem ser recontratados para trabalhar no empreendimento. Desde 2011, a administração do hotel não depositava o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) dos funcionários.

"Segundo informações que recebemos da massa falida, o comprador pretende botar o hotel pra funcionar novamente", disse.

De acordo com o sindicalista, o novo comprador deve começar a operar o hotel em 60 a 90 dias. Uma reunião foi marcada para semana que vem entre os envolvidos para esclarecer os próximos passos que devem ser adotados.

Primeiro leilão

Em 16 de dezembro, a empresa amazonense ‘Nyata - Soluções em Pagamentos’ deu o lance de R$ 120 milhões, mas não depositou a caução (garantia legal) de 5%, de R$ 6 milhões, do valor total estimado do hotel, avaliado em R$ 182,1 milhões, em tempo hábil. Por isso, o Tropical Hotel foi a leilão novamente ontem.

Com o descumprimento do item do edital, o juiz Paulo Assed Estefan, titular da 4ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), não homologou a venda. 

À época, a assessoria de imprensa da Nyata informou à reportagem que a empresa estava disposta a dar como lance a quantia de R$ 120 milhões no leilão do dia 11. “No primeiro leilão, dois interessados (duas empresas) estavam presentes e ambos não fizeram o depósito conforme o previsto no leilão. O juiz preferiu não homologar e avalio ser mais justo reabrir o leilão e refazê-lo. Isso não foi novidade para nós, até esperávamos e estamos bem tranquilos em relação à decisão proferida. A proposta vinculante que consta nos autos se mantém. O hotel só não será arrematado pela Nyata caso seja apresentado uma proposta de maior valor”, declarou na ocasião um dos sócios da empresa que preferiu não ser identificado.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.