Publicidade
Manaus
DISCUSSÃO

Uber instala portão exclusivo no aeroporto de Manaus e gera embate com taxistas

Além da utilização de espaço específico para embarque de passageiros que usam o aplicativo, a Uber chegou a instalar faixas de propaganda que foram retiradas após reclamações de taxistas 25/04/2018 às 05:00 - Atualizado em 25/04/2018 às 12:05
Show uber
Foto: Antônio Lima
Danilo Alves Manaus (AM)

Taxistas que trabalham no aeroporto internacional Eduardo Gomes denunciaram a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) de favorecimento à empresa Uber, após autorizar, no início deste mês, a instalação de portões exclusivos e faixas sinalizadas do aplicativo de carona paga, na área de desembarque de passageiros do local.

Carlos Alberto Lemos é gerente de uma rádio-táxi autorizada pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) e disse que a denúncia chegou a ser apresentada na última segunda-feira (23) no plenário do Senado Federal, pelo senador do Estado de Roraima Telmário Mota (PTB), após a categoria reprovar a atitude, alegando que nunca tiveram autorização para instalar esse tipo de propaganda nas imediações do aeroporto.

Ele explicou que há 20 dias os materiais foram instalados por uma empresa terceirizada, mas após reclamação dos taxistas, a faixa foi retirada. “Nós ficamos indignados, pois há trabalhadores com mais de 30 anos na praça, que estão à beira da falência, se humilhando por corrida, enquanto uma empresa multinacional, apesar de realizar o trabalho corretamente, não percebe que os motoristas cadastrados no app não pagam tarifas absurdas para o aeroporto e SMTU, e ainda tem portão exclusivo? Inadmissível”, reclamou.

Há pelo menos três anos, o movimento de viagens em táxis credenciados diminuiu 80%, conforme o taxista Robson França, 62, que já trabalha no local há 30 anos. Antes, os motoristas realizavam até oito corridas por dia. Atualmente, o número despencou para uma viagem diária.

“Além disso, nós auxiliares pagamos toda a semana um valor de R$ 250  a  R$ 300 para empresas ou cooperativas como autorização de trabalharmos no local. Enquanto nós ficamos aqui sem nenhuma estrutura ou auxílio da administração, a empresa Uber tem até sinalização diferenciada. No nosso caso, a única propaganda com táxis credenciados se encontra no saguão do desembarque e é apenas uma baia para atendimento”, afirmou.

Os taxistas também disseram que já procuraram a administração da Infraero para mais informações, mas não tiveram retorno.

A equipe do Portal A Crítica foi até o aeroporto Eduardo Gomes e constatou a denúncia. A entrada exclusiva está localizada no portão 1-a, do setor de desembarque. O motorista Glaucio Mendes, 44, deixou um passageiro no local e gostou da ideia de um portão exclusivo para motoristas.

“Em respeito aos taxistas, que às vezes chegam a ser agressivos, nós paramos sempre na área de embarque, mas agora com esse portão, só vou parar aqui. Acredito que essas taxas cobradas pela prefeitura são absurdas, eles precisam reivindicar isso e não implicar com o nosso trabalho”, contou.

Quem utiliza o serviço ainda leva em consideração o preço mais barato. Atualmente, o preço de uma corrida tabelada varia de R$ 42  a  R$ 110, dependendo da localidade.

O comerciante Alessandro Vieira, 43, veio de São Paulo e solicitou um Uber para o Centro de Manaus. Ele disse que, antes da viagem, fez a cotação no serviço credenciado e tomou um susto: “Eles cobraram R$ 75 reais para o hotel, até aí tudo bem, é minha 1ª vez na cidade. Quando solicitei um Uber foi que me assustei: R$ 19 a corrida”.

Sem resposta

A reportagem do Portal A Crítica entrou em contato com a Infraero para dar mais informações sobre o caso, mas a assessoria se limitou em dizer que deve responder sobre o caso na manhã desta quarta-feira (25). A equipe não conseguiu contato com a empresa Uber.

120

Esse é o número de taxistas credenciados que trabalham na área do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. Há 10 anos, o número chegava a 250 motoristas.

Publicidade
Publicidade