Publicidade
Manaus
APAGÃO

UEA cancela o primeiro dia de provas do Vestibular 2016 em todo o Estado

Falta de energia em Manaus causou problemas em diversas escolas e motivou cancelamento; prova desta segunda-feira está mantida 23/10/2016 às 22:33
Show dsc 4447
Prova deste domingo foi cancelada e deve ser realizada novamente no dia 15 de novembro (Foto: Divulgação)
Rafael Seixas Manaus (AM)

O primeiro dia de provas do vestibular da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) realizado neste domingo (23) foi cancelado em todo Estado.  A informação foi dada pelo reitor Cleinaldo Costa que explicou que os problemas enfrentados pela falta de energia motivaram o cancelamento. A declaração foi feita durante coletiva de imprensa na noite de hoje na reitoria da UEA, localizada na av. Djalma Batista, bairro Flores, na Zona Centro-Sul de Manaus.

Apesar disso, o calendário desta segunda-feira (24) para o segundo dia de provas está mantido. A prova que aconteceu neste domingo será remarcada, com previsão para o dia 15 de novembro.

“O problema é que isso [falta de energia] trouxe prejuízos de graus variados para a população de 82 mil candidatos ao vestibular 2016. Eu próprio estive na Escola Superior de Tecnologia (EST/UEA), na av. Darcy Vagas, durante a tarde, e tentamos mediar na medida do possível o que estava acontecendo lá. Tentamos colocar os alunos para o corredor para fazer a prova, tirar da condição de sala de aula para aproveitar a luz natural, mas essas medidas foram insuficientes. Analisando com calma, eu pude avaliar que o prejuízo é muito grande para diversos alunos”, declarou Cleinaldo Costa.

“O fato é que o número é expressivo, ainda que seja perto de 4 mil alunos [prejudicados] em um universo de 82 mil, nós estamos falando aí perto de 5%. O fato é que o concurso vestibular depende de um fator chamado credibilidade. Se um aluno foi prejudicado nos não temos mais isonomia e é dentro dessa leitura que eu reavalio toda essa situação”, acrescentou.

Ainda de acordo com o gestor, houve casos de alunos que ficaram até três horas e meia sem responder as questões por conta do problema de falta de energia. Os principais problemas ocorreram na capital amazonense na Escola Normal Superior, na Escola Superior de Tecnologia, na Faculdade de Ciências Sociais e também no prédio da Faculdade Estácio. 

Nas redes sociais muitos vestibulandos denunciaram que concorrentes tiveram acesso aos seus aparelhos celulares, que outros conseguiram trocar informação por meio de conversas e que tiveram aqueles que chegaram a desmaiar por conta do calor e do forte estresse.

“A nossa ideia é que a nova prova aconteça dia 15 de novembro, mas é claro que isso vai depender de estabelecer todos os locais novamente, mobilizar a equipe e preparar uma nova prova. A prova de amanhã (24) contará do mesmíssimo modo como está no edital”, disse o reitor, complementando que conversou com o diretor da Manaus Energia e que ele lhe garantiu que o evento foi fortuito e motivado por forças da natureza, não tendo grande probabilidade de acontecer novamente.

Publicidade
Publicidade