Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019
Manaus

Ufam lança desafio para mostrar que é possível aprender mesmo ‘desplugado’

Mas é possível ensinar computação sem o uso do computador? Difícil imaginar como isso pode ser feito, mas não é impossível



1.jpg Raimundo Barreto ressalta que todas as atividades ensinam fundamentos da computação, só que de forma lúdica
12/10/2013 às 18:56

Num mundo quase dominado pela tecnologia, estamos cercados por computadores. Muitas pessoas utilizam a máquina e precisam aprender como usá-la. Mas é possível ensinar computação sem o uso do computador? Difícil imaginar como isso pode ser feito, mas não é impossível.

É que a computação também pode ser ensinada por meio de atividades lúdicas. Esta é a proposta do “Projeto Computação Desplugada”, de um grupo de professores e alunos do Instituto de Computação (IComp) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).



De acordo com o professor Raimundo Barreto, doutor em Ciência da Computação e coordenador do projeto, a ideia de levar outros docentes e alunos a ensinarem computação sem computador surgiu quando ele teve conhecimento da iniciativa de professores de universidades da Nova Zelândia e da Austrália, chamada “Computação Desplugada”.

Barreto, no entanto, destaca que a inovação do projeto do Icomp da Ufam se dá pela forma como apresentam as atividades: com uma peça teatral que inclui danças.  “Computação sem computador é muito viável. Isto porque, apesar de ser verdade que nos últimos anos pouca coisa se faz sem o computador, a computação em si é muito mais antiga. Computadores são ferramentas que fazem computação, mas a computação pode ser feita sem computadores, por exemplo, com papel e lápis”, explica o coordenador do projeto. 

Raimundo Barreto ressalta que todas as atividades ensinam fundamentos da computação, só que de forma lúdica. Entre as principais atividades desenvolvidas pelo grupo de professores e alunos de Ciência da Computação no “Projeto Computação Desplugada” está, por exemplo, a “Mágica de Virar as Cartas”.

A atividade lúdica explica o conceito de Detecção e Correção de Erros. “Ou seja, explicamos como os computadores podem detectar os erros de transmissão da informação e como fazem para corrigí-los”.

Outra atividade desenvolvida pelo grupo chama-se “Vamos Dançar?”, que representa um importante diferencial em relação aos processos de aprendizagem convencionais, como afirmam os idealizadores.

“Este explica o conceito de ordenação utilizando danças. Nele mostramos dois métodos que o computador utiliza para ordenação (método bolha e método da inserção). Para cada método usamos um tipo de dança diferente”, disse o doutor em Ciência da Computação, Raimundo Barreto, coordenador do projeto.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.