Publicidade
Manaus
SAÚDE

Ufam oferece atendimento gratuito para pacientes com doenças neurológicas

Por meio do Proneuro, atendidos contam com diversos métodos como a Reprogramação Dinâmica Muscular (RDM) para tratar Esclerose Múltipla, Alzheimer, entre outras 19/07/2018 às 17:22
Show whatsapp image 2018 07 19 at 16.40.03
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Os cursos de Educação Física e Fisioterapia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) estão oferecendo atendimento gratuito, em Manaus, a pacientes com lesões neurológicas por meio do Núcleo Multiprofissional de Reabilitação Neurofuncional (Proneuro). O programa de atendimento utiliza diversos métodos e serviços de saúde como cinesioterapia, hidroterapia, fonoaudiologia, psicologia, atividade física, assistência social, enfermagem e a Reprogramação Dinâmica Muscular (RDM).

Para se inscrever no programa de tratamento, o paciente precisa apresentar um diagnóstico médico atestando doença neurológica com encaminhamento para reabilitação. A marcação é feita de segunda a quinta-feira, das 8h às 12h, por meio do telefone (92) 98815-8209. O interessado não pode estar sendo tratado em nenhum outro programa de reabilitação.

O atendimento ao paciente é feito no Laboratório de Estudos em Neurociências e Comportamento (LENC/Ufam), localizado no setor Sul do Campus Universitário, no bairro Coroado, Zona Leste.

RDM é diferencial

“O quadro de lesão neurológica de um paciente é muito difícil reverter e ter 100% de êxito e regeneração, porém é possível melhorar a qualidade de vida desses pacientes e aumentar a expectativa de sobrevida dessas pessoas. A RDM é muito eficaz nesse tipo de diagnóstico, pois aumenta a capacidade de conscientização corporal por meio dos estímulos sensório-motores percebidos e realizados pelo próprio paciente”, explica a professora da Ufam e coordenadora do Proneuro, Carmen Martini.

A reprogramação oferecida no Proneuro foi desenvolvida pelo fisioterapeuta e especialista em posturologia Miguel Pinto. Adepta ao método, a professora Carmen importou a técnica para Manaus e hoje auxilia cerca de 30 pacientes por mês entre doenças como Esclerose Múltipla, Esclerose Lateral Amiotrófica, Alzheimer, Pós-acidente vascular cerebral, Parkinson, entre outras.

Publicidade
Publicidade