Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
APURAÇÃO

Ufam pode ser responsabilizada pelos casos de maus-tratos a animais no campus

Novas ocorrências foram registradas e investigações em torno de casos serão iniciadas pela Polícia Civil



manifesta__o.JPG Ontem, manifestação reuniu estudantes e membros da OAB-AM (Foto: Euzivaldo Queiroz)
20/06/2017 às 05:00

A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) pode ser responsabilizada caso seja constatado envolvimento da instituição nas ocorrências de maus-tratos a animais ocorridas dentro do Campus Universitário, no bairro Coroado, Zona Leste. A informação é do titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), Samir Freire. De acordo com ele, ontem novos registros de boletins de ocorrência (BO) foram feitos na especializada e as investigações em torno desses casos serão iniciadas para apurar as responsabilidades.

Freire destacou que as investigações do caso da cadela “Pretinha”, morta na semana passada após ter sido agredida com uma chave inglesa por um funcionário de uma empresa terceirizada, estão bem avançadas e todos os envolvidos foram identificados. “Primeiramente estão sendo ouvidas as testemunhas do caso e posteriormente os agressores serão acionados para comparecer na unidade policial”, informou o delegado.



No início da tarde de ontem, membros da Comissão Especial de Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM), da ONG ComPaixão e alunos da Ufam participaram de uma manifestação para chamar a atenção e combater os casos de agressões a animais no Campus Universitário. Com cartazes na mãos, os manifestantes também pediram justiça. O ato ocorreu no hall do antigo Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL).

Nada feito

De acordo com a estudante de mestrado Izaura Nogueira, 28, os crimes de maus-tratos vêm ocorrendo há bastante tempo, mas infelizmente até agora nada foi feito para garantir os direitos dos animais. “Não aguentamos mais. O que aconteceu com a ‘Pretinha’ foi muita maldade. Queremos que a Ufam tome providências. Por isso organizamos essa manifestação para chamar a atenção de toda a comunidade acadêmica que maus-tratos de animais e abandono são crimes”, lembrou.

No último sábado, duas novas denúncias de agressão a cães foram registradas na Ufam. Um dos animais foi envenenado por uma substância tóxica e outro teve uma das patas quebradas, possivelmente em um atropelamento. O cão envenenado, chamado de “Cachaça”, segue internado numa clínica veterinária, no bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul, em estado grave. Uma campanha virtual arrecada doações para custear o tratamento do animal.

Além de cachorros e gatos, animais domesticados, o campus da Ufam também abriga animais silvestres que vez por outra entram em contato com os humanos, como é o caso de macacos, sobretudo os da espécie sauim-de-coleira, que são endêmicos daquela região da cidade de Manaus.

Condenação veemente

Diante dos novos relatos apresentados de maus-tratos a animais no campus universitário, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) informou que reafirma sua posição de condenação veemente à violência contra animais. “A universidade está apurando os dois casos recentemente ocorridos e está adotando as providências cabíveis em relação a ambos”, disse em nota.

A instituição ainda solicitou a colaboração da comunidade acadêmica tanto para registrar o abandono de animais no ambiente da universidade quanto para denunciar maus-tratos a qualquer deles; a fim de que tais ações não voltem a ocorrer no campus universitário ou sejam minimizadas e seus autores responsabilizados.

A presidente da Comissão Especial de Proteção Animal da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Amazonas (Cepa/OAB-AM), Ana Lúcia Nogueira, disse que vai protocolar um ofício junto a Ufam solicitando uma reunião com a diretoria da instituição e a prefeitura do campus. “Queremos saber qual é o posicionamento da Ufam sobre essas denúncias para poder tomar as providências”, afirmou.

Na próxima sexta-feira, a Comissão Especial de Proteção Animal da Ordem dos Advogados do Brasil do Amazonas (OAB/AM) estará pela manhã, tarde e noite no antigo ICHL recebendo documentalmente relatos e provas de maus-tratos contra animais ocorridos na Ufam. A advogada Ana Lúcia Nogueira solicitou a todos que tem prints, fotos, filmagens, entre outras provas das agressões, que leve o material para os advogados neste dia, pois os materiais servirão para dar apoio aos alunos para formalizar as denúncias e fazer uma representação contra a Ufam junto ao Ministério Público Federal do Amazonas (MPF-AM).

Abandonados

Aproximadamente  dez cachorros estão abandonados dentro do campus universitário da Universidade Federal doAmazonas (Ufam). A estudante a Izaura Nogueira, 28, enfatizou que a instituição não tem estrutura para cuidar desses animais. Eles dependem do bom senso das pessoas para sobreviver, inclusive para a questão da alimentação segura.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.