Sábado, 07 de Dezembro de 2019
VANDALISMO

Um dia após inauguração, quatro bicicletas do 'Manôbike' são quebradas por vândalos

Veículos que ficam na estação do Mercado Municipal Adolpho Lisboa e Praça Heliodoro Balbi foram danificados durante a noite. Prefeitura disse que vai tomar medidas e substituir bicicletas



manobike.jpg Uma das bicicletas teve o guidom arrancado em ato de vandalismo (Foto: Divulgação)
13/04/2017 às 19:26

Quatro bicicletas do projeto "Manôbike" foram alvos de vandalismo, um dia depois do lançamento da iniciativa no Centro de Manaus. O caso mais grave ocorreu na estação 9, no Mercado Municipal Adolpho Lisboa.

A publicitária Dirce Quintino foi quem registrou a primeira ocorrência. Segundo ela, o guidom da bicicleta foi cerrado e a cesta furtada, mas o criminoso não conseguiu levar o veículo. “Eu comprei o passe, mas não fui para testar. Fui ao mercado e quando passei perto vi a bike daquele jeito e resolvi tirar a foto, porque me chamou a atenção ver aquilo”, contou ela.



O caso ganhou repercussão nas redes sociais e o Instituto Municipal  de Planejamento Urbano (Implurb) providenciou a substituição do equipamento. Além dele, de acordo com o Implurb, outras três bicicletas do projeto apresentaram sinais de vandalismo na estação 8, na praça Heliodoro Balbi, também no Centro. Todas as bicicletas serão substituídas.

A empresa Samba/Serttel, que opera o sistema, informou que denúncias podem ser feitas à Central de Atendimento ao Cliente pelo número 4003-0387, para que seja acionada a assistência técnica local. Nos casos ocorridos, a operadora já está atuando para reparar os danos causados. O custo médio da operação em Manaus, incluindo manutenção, é de R$ 10 mil.

O presidente do Implurb, Claudio Guenka, esteve na estação 9. "Vamos tomar as medidas necessárias, mas inicialmente queremos que a população se conscientize do sentimento de que o projeto é da cidade, pertence a cada cidadão. É um bem que fica para a população e não podemos deixar que isso ocorra".

Ao todo, são 11 estações em operação, todas na área central da cidade. “Eu achei a ideia muito boa e eu gosto de pedalar. Mas ainda faltam informações sobre  como funciona. Outra preocupação também é com os furtos porque aqui é uma área vermelha e não tem segurança 24h”, falou o comerciante Rodrigo Nascimento, 31.

O auxiliar de serviços gerais Anderson Teixeira, 36, se diz preocupado com a segurança tanto do patrimônio quanto dos usuários. “A segurança é um assunto importante porque aqui no Centro é perigo. Eu pretendo utilizar, mas se eu for assaltado e o bem for levado, como eu vou fazer? Eu vou ter que arcar com o prejuízo?”, questionou.

O presidente do Implurb informou ainda que na próxima segunda-feira será realizada uma reunião com a empresa para verificar os meios para se apurar o que ocorreu e como proceder em relação a segurança dos equipamentos.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.