Publicidade
Manaus
Manaus

Unesco vai às escolas de Manaus para tentar melhorar o processo de ensino e aprendizagem

Programa de apoio visa diminuir índices de evasão, repetência e violência no ambiente escolar 16/08/2013 às 09:02
Show 1
Diretora de Gestão Educacional da Semed, Sorro Horta (em pé), troca informações com técnicos da Unesco em Manaus
Ana Celia Ossame ---

Reduzir a evasão, que chega ao índice de 13% nas escolas da capital, a violência, e conseguir a melhoria do processo ensino e aprendizagem, são alguns dos focos da parceria firmada entre a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), por meio do Programa Escolas Associadas (PEA). Com resultados importantes em países da América do Sul, África e Ásia na busca da melhoria das ações pedagógicas, o programa já trouxe a Manaus técnicos da organização, informou o secretário Pauderney Avelino.

Ao destacar que os eles já fizeram o diagnóstico da situação das escolas, especialmente as das zonas Norte e Leste, onde o índice de violência e tráfico de drogas é elevado, assim como de abandono e repetência, o secretário explica essas escolas terão a prioridade das ações. “Fizemos uma reunião com dois técnicos da Unesco e apresentamos a estrutura organizacional da Semed. Agora estamos em fase de elaboração do colaboração técnica entre a Semed e a organização, focando a formação dos professores”, disse a professora Socorro Horta, diretora de Gestão Educacional da Semed.

ESTUDOS

De acordo com Pauderney , os consultores da Unesco fizeram um raio-x e agora estudam as ações a serem implementadas na estrutura da secretaria para tornar mais eficientes as atividades pedagógicas. Ao anunciar que quer ver os alunos conseguirem neste ano o Índice do Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) proposto para 2016, que é 5.5 nos anos iniciais e 4.5 para os anos finais da educação básica, o secretário diz confiar nos resultados de programas como o de Alimentação Escolar e o reforço, que permitiram ao aluno permanecer nos dois períodos do dia nas escolas, o que tem reduzido significativamente o índice de abando em escolas antes campeãs nessas situações como a Carlos Gomes, na Compensa, e a Álvaro César, na Zona Leste. A Carlos Gomes chegou a registrar 40% de abandono, e a Álvaro César, 35%. Agora, esse índice é quase zero, garantiu o secretário.

Parceria com BID para escolas

O secretário Pauderney Avelino citou ter elaborado uma Carta Consulta ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que vai oportunizar a construção de 72 escolas em Manaus, num custo total de US$ 208 milhões, dos quais US$ 104 milhões serão do município e US$ 104 mil do BID. Essas escolas vão dar lugar aquelas funcionam em prédios alugados e muitas vezes, sem as condições adequadas para um estabelecimento de ensino, afirmou.

Com características regionais, os novos prédios escolares serão construídos em locais doados pela Marinha, Suframa ou em terrenos da própria secretaria ou do município, que serão ocupados pelo poder público. “Como a prioridade do BID é a educação, vamos aproveitar o apoio pedagógico que oferecem e trazê-los para dentro da prefeitura, secretaria e das escolas para assegurar que os programas tenham continuidade”, explicou.

Publicidade
Publicidade