Publicidade
Manaus
JUSTIÇA

União deve cobrar de José Melo valor que será gasto em eleições no Amazonas

Orçamento de R$ 18,5 milhões foi aprovado para custear o pleito suplementar no Estado. Confirmação do dia 6 de agosto para a eleição sai na sexta-feira 10/05/2017 às 16:56 - Atualizado em 10/05/2017 às 17:04
Show contas2
Melo e Henrique foram cassados por compra de votos (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Antônio Paulo Brasília (DF)

A Advocacia Geral da União (AGU) deve ingressar com uma ação na Justiça contra o ex-governador José  Melo e o ex-vice-governador Henrique Oliveira  para cobrar que eles paguem todo o valor que a União vai gastar para viabilizar as eleições suplementares para o Governo do Amazonas.

A informação foi apurada por A CRÍTICA junto a fontes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na tarde desta quarta-feira, após reunião entre representantes do órgão e o diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), Messias Andrade. Na ocasião, ficou definido o orçamento de R$ 18,5 milhões para a realização do pleito.

O valor seria o total para uma eventual eleição em dois turnos. A verba virá dos cofres do TSE, e tudo que for gasto pelo poder público deverá ser cobrado judicialmente de Melo e Henrique, cassados por compra de votos.

 Na reunião, ficou fechada a proposta para que as eleições sejam realizadas em 6 de agosto - primeiro turno - e 27 de agosto - segundo turno, caso necessário.  A definição final será na sexta-feira, quando o Pleno do TRE-AM deve homologar a proposta de calendário, que inclui as datas para convenções, início de propaganda eleitoral e a data do pleito, propriamente dita.

"Definimos a questão do deslocamento do efetivo militar e civil e quantidade de equipamentos que seriam necessários para transmissão dos dados e pequenos ajustes em datas da nossa resolução que deve ser aprovada na sexta-feira", resumiu o diretor do TRE-AM, Messias Andrade, em áudio divulgado pela assessoria de comunicação do TRE-AM.

No total, devem ser utilizadas sete mil urnas e um efetivo de segurança composto por cinco mil homens.  "Saímos daqui com o coração aliviado e cientes da responsabilidade enorme que temos de fazer um pleito eficaz, seguro e célere", resumiu Messias, no material divulgado pelo órgão.

 

Publicidade
Publicidade