Publicidade
Manaus
ALERTA

Unidades do Caps não comportam a quantidade de pacientes, denuncia comissão

Alta demanda de pacientes com transtornos mentais graves preocupa profissionais e usuários da Rede de Atenção Psicossocial 29/11/2018 às 20:50 - Atualizado em 30/11/2018 às 06:58
Show zcid063001 p01 119a9759 04bf 4050 b6de 3e8adaec89b7
Foto: Jair Araújo
Karol Rocha Manaus (AM)

A alta demanda de pacientes com transtornos mentais graves e persistentes preocupa profissionais e usuários da Rede de Atenção Psicossocial de Manaus. As quatro unidades de Centro de Apoio Psicossocial (Caps) existentes na capital não comportam a quantidade de pacientes atendidos.

Essa é uma das reivindicações que partiu da Comissão de Usuários, Familiares e Trabalhadores de Saúde Mental de Manaus (CSM/MAO), que pede mais investimento e atenção à saúde mental tanto pela Prefeitura como pelo Estado.

Em pauta está também a contratação de profissionais como psiquiatras para atender nos Caps em funcionamento no município, a reforma e ampliação de unidades, além da implantação de, pelo menos, um Caps infantojuvenil e um Caps adulto por Distrito de Saúde.

“O primeiro Caps criado foi em 2005 e de lá para cá, temos apenas quatro unidades para mais de 2 milhões de habitantes. Ou seja, as unidades hoje acabam atendendo uma grande quantidade de pessoas vindas de outras zonas”, explica José Setemberg,  membro da comissão.

No Caps, o paciente é acolhido no momento em que chega, sem precisar agendar, mas a avaliação com o médico psiquiatra pode demorar meses. “A espera pela avaliação com psiquiatra passam dois ou três meses por conta do número de pessoas. Enquanto isso, os pacientes recebem acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, com  psicólogos e assistentes sociais ”, ressalta Setemberg.

 Locais de atendimento

Em Manaus, existem quatro unidades de Centro de Apoio Psicossocial (Caps). Três são administrados pelo município: Caps III Benjamim Matias Fernandes, localizado no Parque Dez,  na Zona Centro-Sul,  Caps Infanto-Juvenil (CAPSi), que funciona no  Conjunto Acariquara, no Coroado,  na Zona Leste, e o Caps  Dr. Afrânio Soares (Caps ad III), localizado na avenida Efigênio Sales, no Aleixo, zona Sul. Já o Caps Silvério Tundis,  localizado na avenida Sete de Maio, no bairro Santa Etelvina, Zona Norte,  é de responsabilidade da Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

Ampliação

Em nota, a Susam informou que o atendimento a pacientes com transtornos mentais está em fase de ampliação, a partir da proposta de criação de 45 leitos de internação em hospitais gerais. Dezenove deles estão em fase de implantação, sendo 10 no Platão Araújo e nove no Hospital Infantil Dr. Fajardo.  Os outros leitos devem funcionar no HPS 28 de Agosto e no Hospital  Geraldo da Rocha. A previsão é o projeto seja concluído em março de 2019.

Publicidade
Publicidade