Publicidade
Manaus
SAÚDE

Universitário de 17 anos diagnosticado com meningite recebe alta em Manaus

Há 18 dias o estudante estava internado no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto. No hospital, ele ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) 07/05/2018 às 19:04 - Atualizado em 07/05/2018 às 19:09
Show 28 de agosto
Foto: Reprodução/Internet
Vitor Gavirati Manaus (AM)

O universitário de 17 anos da Faculdade Estácio do Amazonas diagnosticado com meningite bacteriana no último dia 18 de março recebeu alta nesse domingo (6). A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam). Há 18 dias o estudante estava internado no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na Zona Centro-Sul de Manaus.

Questionada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Susam não confirmou se o estudante possui alguma sequela e nem deu detalhes sobre a continuidade do tratamento dele.

A meningite é a inflamação da meninge, membrana que recobre o sistema nervoso central. Potencialmente fatal, a doença costuma ser causada por agentes infecciosos, tais como bactérias, vírus e fungos. A meningite bacteriana é a forma mais grave.

No hospital, ele ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Quarenta universitários que são colegas do estudante receberam quimioprofilaxia e foram monitorados pela equipe do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae) da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

As aulas da Estácio, localizada na Zona Centro-Sul de Manaus, foram suspensas por dois dias após a confirmação do caso de meningite. Além dos colegas de faculdade, treze familiares do jovem também foram atendidos pelo Devae. Os membros da família moram no mesmo local que o estudante, no quilômetro 25 da BR-174 (Manaus – Boa Vista).

Meningite no Amazonas

Segundo os dados do Boletim Epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), o Amazonas teve confirmados durante todo o ano de 2017 cerca de 205 casos de meningite. No primeiro trimestre deste ano, foram confirmados 27 casos da doença, contra 55 casos no mesmo período de 2017, registrando assim uma redução de 51% dos casos.

Publicidade
Publicidade