Publicidade
Manaus
Financiamento coletivo

Universitário do AM pede ajuda financeira para custear estágio na Disney

O amazonense Rafael Bezerra, 25, passou em uma seleção entre estudantes do todo o Brasil para trabalhar na Disney, mas não tem dinheiro para viajar até lá 10/10/2016 às 05:00
Show 7e2eef41 84bd 4d04 af16 eb36b5f05c7c
Com intercâmbio de trabalho na Disney, o estudante busca experiência profissional (Foto: Reprodução)
Vinicius Leal Manaus (AM)

O universitário amazonense Rafael Bezerra, de 25 anos, está prestes a realizar um sonho: ir trabalhar no Walt Disney World, famoso complexo de entretenimento localizado na cidade de Orlando, nos Estados Unidos. Estudante de Relações Públicas na Universidade Federal do Amazonas, Rafael passou em uma difícil seleção com jovens do Brasil inteiro e conseguiu uma vaga de estágio nos parques e resorts do grupo, através de um intercâmbio. Porém, algo pode atrapalhá-lo: a falta de dinheiro para custear a viagem.

A proposta é irrecusável: trabalhar na Disney, com direito a salário e passe livre em todas as atrações, durante os dias de folga, além da experiência. Mas Rafael terá que pagar do próprio bolso vários custos: passagem de ida e volta aos EUA, cerca de R$ 2,8 mil; taxa de condomínio para estadia em Orlando, R$ 1,1 mil; seguro de saúde de viagem, uns R$ 1 mil; emissão do passaporte e visto de estudante no consulado norte-americano, uns de R$ 500; além de ter em mãos cerca de R$ 1,2 mil para comprovar renda ao governo dos Estados Unidos. A soma disso? Uns R$ 6,6 mil.

“Eles só contratam e a gente arca com os custos”, disse. Para alcançar tal sonho, o universitário abriu um financiamento coletivo no site Kickante – “Ajude o Rafael a Trabalhar na Disney” –, com meta de arrecadar pelo menos R$ 2,5 mil. No site, as pessoas podem fazer doações por meio de cartão de crédito e boleto. “Também estou fazendo rifas simples para juntar o máximo de dinheiro”. O estágio na Disney começa no dia 14 de novembro, mas o financiamento encerra no dia 6, ou seja, menos de um mês, e até agora Rafael só conseguiu R$ 580. “Qualquer ajuda é bem vinda”, disse.

A acirrada seleção

Segundo Rafael Bezerra, conseguir a vaga de estágio na Disney não foi fácil. “Me inscrevi pela internet (Student Travel Bureau) no início do ano. Participei de duas seleções em São Paulo, a primeira em maio e a segunda em agosto. Fiz palestras, entrevistas e consegui passar nas duas fases. Foi melhor que passar no vestibular”, comemorou. Segundo ele, critérios como ser universitário e falar inglês fluente são levados em conta. “Tem gente de tudo que é área, de outros estados, engenharia, arquitetura, direito, publicidade”.

O emprego no complexo Disney vai durar apenas dois meses e meio, mas fará a diferença no currículo de Rafael. “É a porta de entrada para trabalhar lá. Precisa fazer esse programa de intercâmbio”, explicou. Atualmente, Rafael trabalha como recepcionista em uma rede de hotéis em Manaus, o que também facilitou a aprovação dele no intercâmbio, já que tem experiência com atendimento de público, inclusive estrangeiros. “Eu sempre tive vontade de trabalhar em outro País e ser na Disney é um sonho”, falou Rafael.

O estágio de Rafael termina no dia 26 de janeiro, final da alta temporada na Disney. “Lá vou trabalhar para caramba. A Disney bomba muito no Natal e Ano Novo. E pode ser que eu fique sem dinheiro, porque o salário vai ser só para pagar alimentação e me manter lá. Não vou de férias, vou para trabalhar. Vou ter a oportunidade de trabalhar em uma das maiores empresas do mundo e enriquecer meu currículo, além de conhecer outras culturas, porque vão ter jovens do mundo todo também. Uma grande experiência de vida”, finalizou.

Saiba como doar

O quê: “Ajude o Rafael a Trabalhar na Disney”
Quando: até o dia 6 de novembro
Quanto: R$ 2,5 mil é a meta
Onde: https://www.kickante.com.br/campanhas/ajude-o-rafael-trabalhar-na-disney

Publicidade
Publicidade