Publicidade
Manaus
DEBATE

Universitários discutem reivindicações com reitoria da Uninorte após protesto

Reunião está acontecendo no auditório da unidade 7, na rua Major Gabriel, onde eles querem apresentar suas pautas 28/06/2017 às 20:39 - Atualizado em 28/06/2017 às 20:42
Show uni 123
Foto: Gilson Mello
Kelly Melo Manaus (AM)

Os alunos do  curso de Direito do Centro Universitário do Norte (Uninorte) aceitaram conversar e discutir a pauta de reivindicação com a reitoria e com a coordenação  do curso, na noite desta quarta-feira (28). Desde o inicio da noite, eles realizam uma manifestação em frente à unidade de Direito  (Unidade 7), na rua Major Gabriel, no Centro de Manaus. 

A reunião está acontecendo no auditório  da unidade 7, onde eles querem apresentar suas pautas de reivindicações. As principais insatisfações são com o sistema de avaliação implantando neste ano, aumento das mensalidades e a falta de informação e preparo dos professores. 

De acordo com um Aluno do 7° período que não quis se identificar, nem todos os professores possuem formação pedagógica para lecionar no curso. Ele também reclamou da falta de comunicação com alguns professores que não souberam explicar o funcionamento do atual modelo de avaliação semestral. 

Agora, os alunos realizam duas provas por bimestral sendo a última com peso 2 e contemplando o conteúdo ministrado em todo semestre. A média também subiu de 5 pontos para 7 e quem não alcança a média, automaticamente precisa fazer o “provão” para ser aprovado no período. Essa mudança causou preocupação nos alunos porque as disciplinas a distâncias  (EAD) também tiveram mudança  no cálculo de avaliação, o que na opinião deles, dificultou para alcançar a nota mínima de  aprovação. 

O estudante do 9° período de Direito, Victor Pierre, disse que concorda parcialmente com as reivindicações dos alunos, e contou que durante a tarde uma comissão de alunos se reuniu com a coordenação para mediar os problemas. 

Segundo ele, ficou acertado que os alunos não seriam prejudicados, e que prevaleceria o método em que o estudante  tivesse alcançado a melhor nota. Mesmo assim, nem todos participaram da reunião ou entenderam a proposta, o que gerou uma nova roda de conversa com a coordenação, mas desta vez com um número maior de alunos. 

A reunião está em andamento e caso eles não cheguem a um acordo, os estudantes prometem fazer novos protestos em frente à faculdade.

Publicidade
Publicidade