Publicidade
Manaus
Manaus

Urbanitários de Manaus cruzam os braços nesta segunda-feira (15)

De acordo com o presidente do sindicato, José Borges, além do aumento salarial, a categoria solicita o repasse de 6,49% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e o ganho real salarial definido em 4% que correspondem ao Acordo Coletivo de Trabalho (ACT 2013-2014) 15/07/2013 às 11:33
Show 1
Os trabalhadores se reuniram na frente da sede da Amazonas Energia na avenida Sete de Setembro, na Cachoeirinha
Bruna Souza Manaus, AM

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado do Amazonas (STIU-AM) realiza na manhã desta segunda-feira (15) paralisação para reivindicar um aumento salarial de 10,25%. Eles estão em frente á sede da empresa Eletrobras Amazonas Energia, localizada na Avenida Sete de Setembro, bairro Cachoeirinha, Zona Sul de Manaus. A paralisação integra uma ação nacional da categoria.

Os urbanitários cruzaram os braços, após reunião no último dia 9.  Eles sinalizam paralisação por tempo indeterminado, caso não tenham a solicitação atendida pela Eletrobras. De acordo com o presidente do sindicato, José Borges, além do aumento salarial, a categoria solicita o repasse de 6,49% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e o ganho real salarial definido em 4% que correspondem ao Acordo Coletivo de Trabalho (ACT 2013-2014).

“Queremos ainda a derrubada do artigo 37, que permite a Eletrobras a contratação de serviços de assessorias (jurídicas e técnicas). Acreditamos que os funcionários do quadro, já possuem capacitação suficiente para ocupar esses cargos e assim terem os salários melhorados”, declarou.

Os urbanitários asseguram que a negociação junto a Eletrobras, acontece desde o mês de maio. Eles disseram não ter tido resposta da empresa. A mobilização nesta segunda-feira (15) deve seguir até as 13h30 e os representantes do sindicato aguardam uma proposta favorável da concessionária.

Em nota

Por meio de nota divulgada à impressa, a diretoria da Eletrobras em Manaus, informou que receberam os representantes do sindicato. Mas, que pretendem adotar medidas para evitar prejuízos à população caso a greve seja de fato deflagrada.

“Durante o período de greve, as equipes de Operação e Manutenção estarão trabalhando com contingente otimizado para atender às demandas cotidianas e para que não haja a descontinuidade dos serviços essenciais, além disso, o Call Center (0800 701 3001) estará realizando os atendimentos normalmente”, relata o documento.

Para os consumidores que precisarem utilizar os serviços de alguma das lojas de atendimento da distribuidora de energia, a empresa solicita que os usuários entrem em contato, primeiramente, com o Call Center e confirmem qual a unidade mais próxima estará disponível para realizar o atendimento.

 

 

Publicidade
Publicidade