Publicidade
Manaus
FLAGRANTE

Usuários são flagrados usando entorpecentes nas proximidades do Terminal 1

Drogas, vagabundagem e assaltos em plena luz do dia são algumas das situações vistas com frequência por moradores da área 26/07/2017 às 08:46
Show drogas
Na terça-feira (25), no começo da tarde, ao lado do T1, usuários fumavam maconha. Foto: Jander Robson
Dani Brito Manaus (AM)

Após denúncias de tráfico e uso de drogas, assaltos e até encontros amorosos mais “quentes” na área desativada do Terminal de Integração 1, localizado na avenida Constantino Nery, no Centro de Manaus e em seus arredores, a reportagem foi até o local e acabou flagrando, na última terça-feira (25), às 13h30, estudantes e usuários de drogas consumindo entorpecentes em meio aos populares que diariamente passam pelo local.

Cerca de cinco pessoas estavam sentadas em um banco “bolando” um baseado em plena luz do dia. Em seguida, acenderam o cigarro de maconha e começaram a fumar. A cena foi assistida pela nossa equipe e por quem passou pelo local.

“Isso acontece todos os dias, de manhã, de tarde e de noite. Eu trabalho aqui próximo e passo aqui pelo menos quatro vezes por dia. Eles não respeitam ninguém e fumam drogas como se estivessem fumando cigarro normal. Já vi brigas entre eles e até cenas obscenas entre os estudantes”, relatou uma funcionária pública identificada apenas como Claudete, de 63 anos.


Bandidos se escondem atrás desta árvore, na parte desativada, esperando que um desavisado passe para ser assaltado

A parte do terminal que esta desativada não tem fiscal e fica a mercê dos usuários de drogas e dos assaltantes, que se escondem atrás das árvores para atacar os pedestres que passam pelo local. Um auxiliar de serviços gerais de 42 anos disse que já foi assaltado no local e não pode fazer nada.

”No dia que fui roubado o ladrão estava escondido atrás de uma árvore e quando eu passei, ele pulou em cima de mim e puxou celular da minha mão. Ao sair correndo ele ainda olhou para trás e riu da minha cara”, lembrou o homem, que atualmente prefere andar pelas calçadas da via.

Comerciantes dos arredores do local reclamam da falta de policiamento. “A gente vive com medo. A polícia até passa por aqui, mas não fica muito tempo. Um local desse, que está cheio de usuários, deveria ter policiamento o dia todo. Desde que desativaram essa parte do terminal os assaltos aumentaram. As vítimas já nem gritam mais”, ressaltou uma comerciante de 44 anos.

”Temos fiscais desde as 4h30 até meia noite, mas só monitoramos a área que está funcionando. A polícia sempre passa por aqui, mas depois vão embora e a baderna continua lá fora”, disse um fiscal que preferiu não ter o nome divulgado.

Projeto das ilusões

Fechada desde junho de 2016, a parte do terminal que foi desativada nunca recebeu nenhum tipo de obra. Na época do fechamento, a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) não soube informar o motivo da desativação.

Em nota, ontem, a SMTU informou que a superintendência trabalha em um projeto de recuperação do espaço, que deverá complementar o novo modelo de transporte a ser implementado na cidade. O projeto ainda deverá passar por licitação, mas não há nenhum prazo para execução das obras, que estão no campo da ilusão.

Publicidade
Publicidade