Publicidade
Manaus
REFORMA DO T1

Revitalização do Terminal de Ônibus 1 da av. Constantino Nery segue em ‘marcha lenta’

Usuários do T1 reclamam da demora e da qualidade dos serviços de revitalização prestados pela Prefeitura de Manaus no local 03/02/2018 às 07:10
Show t1
Alagações atrapalham usuários na hora de entrar nos coletivos (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Nelson Brilhante Manaus (AM)

Três dias depois do início de uma força-tarefa envolvendo várias secretarias municipais, a reforma do Terminal de Integração da avenida Constantino Nery (T1), no Centro de Manaus, ainda não satisfez os usuários do transporte coletivo.

“Quando chove, molha mais dentro que fora. Na pista, os ônibus, quando passam, jogam água na gente e por trás é banho de chuva”, desabafou o permissionário Raimundo Souza da Silva, 59, administrador de uma das dezenas de bancas comerciais que ficam dentro do terminal.

Segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), a reforma está apenas iniciando. Enquanto isso, passageiros e comerciantes reclamam da qualidade dos serviços já feitos.


Água empoçada no T1 é retirada pelos ambulantes com balde

Entendido no assunto, o pedreiro Aroldo Souza Lima, 58, viu e não aprovou a obra feita nas calçadas do terminal. “Mudou pouca coisa. Pintaram os quiosques, lavaram a cobertura e fizeram as calçadas, por sinal, muito mal feitas. Fizeram sábado e hoje (sexta) já está caindo”, denuncia o pedreiro.

A doméstica Tatiana Frota espera que a reforma dê mais conforto e segurança aos usuários. “Todo final de semana eu estou aqui e, pelo que estou vendo, não mudou quase nada. Até agora só recuperaram o piso e lavaram a cobertura. O resto continua como antes. Quando chove, a gente não escapa de levar banho”, reclamou.

Dona de uma banca de vendas no terminal, Vânia de Freitas, também não ficou satisfeita com o que já foi feito. “Tiraram nossas bancas para pintar e recolocaram no domingo. Eles (Prefeitura) disseram que não vão mexer com a gente e que tudo que está sendo feito é para melhorar nossas condições de trabalho e dos passageiros. Tomara que sim”, declarou Vânia.


Pintura e recuperação ainda vão levar tempo até serem concluídas

Há mais de dez anos como camelô no T1, Ademar Lima de Araújo, 61, não economizou palavras ao definir o trabalho que está sendo feito na área. “Foi um serviço péssimo. Fizeram a calçada sábado e dois dias depois o cimento já estava caindo. Falaram que as lâmpadas eram de LED e continuam florescentes comuns”, reclama a usuária.

Antônio Jorge Clarindo, 48, conhece bem a história do T1, afinal, são 26 anos vendendo de tudo um pouco no local. “Tem que cobrir a banca com plástico porque ainda não fizeram o recapeamento. Quando os ônibus passam, molha tudo. Eu não vou criticar porque a reforma ainda não terminou. Espero que cumpram com o que foi prometido”, afirmou.

Força-tarefa municipal

A força-tarefa montada pela Prefeitura para reformar o Terminal 1 e o entorno, além da Seminf, inclui as secretarias municipais de Limpeza Urbana (Semulsp), Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Subsecretaria de Abastecimento, Feiras e Mercados (Subsempab), Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) e a Unidade Gestora de Projetos Municipais de Abastecimento de Energia Elétrica (UGPM Energia).

De acordo com a assessoria, já foi feita a lavagem interna e nos telhados, recuperação do calçamento, padronização das bancas de comerciantes e o início da instalação da nova iluminação em LED, que deveria ser concluída na madrugada de quarta-feira (31).

“Fizemos uma reunião de trabalho para continuar seguindo a determinação de fazermos esse processo de reordenamento no T1. Foi uma reunião extremamente produtiva, onde elaboramos um calendário de ações, que vão dar uma nova roupagem no T1”, disse o então prefeito em exercício, Marcos Rotta.


Para usuários, pouca coisa foi feita para melhorar o T1 até hoje

O próximo passo já foi dado, que é a fase do paisagismo na área já desativada do terminal. Paralelamente, acontece a instalação de gradis e a reforma dos banheiros. Outra fase é a aplicação de um grande grafite no portal de entrada do terminal e a última ação será o recapeamento asfáltico em todo o corredor de ônibus do terminal.

“Vamos recuperar três mil metros quadrados de calçamento, melhorar os gradis e dar uma nova cara a esse local, que é uma referência de Manaus”, disse Rotta.

Promessa de arborização

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) está mudando a paisagem dos 20 canteiros existentes no entorno do Terminal 1, como parte do processo de revitalização do local, iniciado no último final de semana pela Seminf. Serão utilizadas duas mil mudas de espécies ornamentais variadas, em composição com a arborização já implantada na área.

As mudanças serão no trecho da avenida Constantino Nery, entre as avenidas Boulevard Álvaro Maia e a Leonardo Malcher (Zona Centro). Os canteiros já possuem mudas de árvores consolidadas, com altura média de 1,80 a 2 metros, da espécie ipê amarelo, que apresentam floração anual, e já estão com copas formadas.


Troca de sanitários dos banheiros do terminal (Foto: Euzivaldo Queiroz)

A previsão é que, em dois anos o investimento resulte num belo cartão-postal, com o colorido das flores e o contraste de texturas das mudas ornamentais. Já está sendo feito o manejo das árvores adultas (mangueiras) existentes na área e que estão infectadas por “erva-de-passarinho”.

De acordo com o diretor de arborização e paisagismo da Semmas, Deyvson Braga, as mudas ornamentais serão das espécies duranta, ararinha, ixora, alamanda, barléria e russélia.

“São canteiros grandes, extensos, com tamanhos variados, que permitirão uma linda visibilidade”, ressaltou o diretor. Outros locais que já receberam jardins são:  Estrada do São Jorge, entroncamento com a Jacira Reis, e avenida Nilton Lins, no Parque das Laranjeiras.


Grades quebradas ao redor do T1 (Foto: Euzivaldo Queiroz)

Trabalhos noturnos

As equipes da prefeitura trabalham de 0h até 4h para não prejudicar os usuários. A administração municipal informou que já realizou a lavagem interna e dos telhados, retirou as paradas e gradis da área desativada, recuperou 3 mil metros de calçada, padronizou as bancas dos permissionários e instalou nova iluminação em LED.

Os trabalhos continuarão neste mês, com a reforma dos telhados, pintura geral, reforma dos banheiros e gradis, recapeamento da pista dos coletivos e a valorização do paisagismo e grafite no portal de entrada do terminal.  Além do T1, outros terminais serão reformados para atender ao BRT.

Publicidade
Publicidade