Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
Ajuda

Pais criam vaquinha online para pagar cirurgia de bebê com problema no rim

O pequeno Heitor de Moura Faria possui uma doença grave no rim esquerdo, chamada Hidronefrose. Os pais da criança organizam vaquinha online para conseguir R$ 35 mil para o tratamento



WhatsApp_Image_2019-10-04_at_09.02.00_14E35096-448B-43A5-8210-A7900C4053A0.jpeg Foto: Arquivo Pessoal
04/10/2019 às 12:13

Com apenas dois meses e 15 dias de vida, o pequeno Heitor de Moura Faria possui uma grave doença renal, chamada Hidronefrose. Essa patologia, de acordo com a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), é uma obstrução no tubo que liga o rim à bexiga. Em razão dessa obstrução no canal, a urina permanece no rim e, em consequência, o órgão aumenta e começa a perder as funções.   

Para realizar uma cirurgia que pode reparar o órgão, o pai da criança, o instrutor náutico Osmar de Almeida Farias Neto, 29 anos, organiza uma vaquinha online para poder viajar a São Paulo (SP), junto com o filho e a esposa, a coordenadora pedagógica Karina de Moura Reis, 31 anos. O procedimento é para desobstruir o canal e garantir as funções renais do bebê. Para doar basta acessar o página da vakinha da Cirurgia do Heitor.



A família é natural da cidade de Parintins (município distante 369 quilômetros em linha reta de Manaus). Casado com a esposa há seis anos, Osmar contou que no período de gestação de Karina, as ultrassonografias já revelavam a condição de Heitor.

“A estrutura da minha cidade não oferece condições o tratamento do meu filho. Os primeiros médicos que consultamos nos orientaram a retirar o rim com hidronefrose. Viajamos a Manaus para uma segunda opinião aqui tivemos boa notícia”, declarou.

Ao apresentarem os exames de Heitor a um nefrologista pediátrico em uma consulta realizada em uma clínica particular situada no bairro Adrianópolis, os pais do pequeno Heitor ouviram do profissional que uma cirurgia pode salvar o rim, e segundo relatou Osmar, a cirurgia de alta complexidade deve ser realizada na cidade de São Paulo.

Por videoconferência os pais consultaram o médico que acompanhará o caso de Heitor na capital paulista. “O médico nos deu um prazo de 15 dias para viajar em razão da condição grave em que o rim se encontra. A vaquinha é para custear somente o hospital e a equipe médica. Tudo está orçado em, aproximadamente, R$ 35 mil, fora as passagens de ida e volta. Essa cirurgia é só a primeira fase do tratamento”, relatou

Após a cirurgia, explicou Osmar, a família terá que retornar a São Paulo num prazo de três meses para a retirada do cateter. “Nesse período monitorar como o rim se comporta. Amigos próximos e familiares já doaram uma certa quantia. Minha esposa e eu estamos muito gratos por todos que nos ajudaram até o momento. Queremos ver a recuperação do nosso filho”, declarou o pai do menor.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.