Publicidade
Manaus
DESPEDIDA

Velório do ex-senador Leopoldo Peres começa hoje, no Palácio Rio Negro

Ele morreu na noite da última segunda-feira, aos 88 anos, após uma parada cardíaca, deixando  a esposa e cinco filhos. 07/03/2018 às 07:27
Show img0006375522
acritica.com Manaus

O velório do ex-senador Leopoldo Péres Sobrinho acontecerá no Salão Nobre do Centro Cultural Palácio Rio Negro na avenida 7 de Setembro, Centro de Manaus, a partir das 8h de hoje, informou o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) em nota de pesar divulgada ontem. Isso porque a família aguarda a chegada de parentes próximos que estão fora de Manaus. Leopoldo é irmão do ex-presidente TJ-AM Arnaldo Campello Carpinteiro Péres e do já falecido Jefferson Péres, que também foi senador pelo Amazonas.

Ele morreu na noite da última segunda-feira, aos 88 anos, após uma parada cardíaca, deixando  a esposa e cinco filhos.

Segundo a filha de Peres, Lívia Cristina, o pai faleceu às 19h50. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Prontocord há cerca de 15 dias e teve uma parada cardíaca. “Ele estava muito feliz e realizado de ver todos os filhos juntos”, disse ela para a reportagem de  A CRÍTICA.

Além de senador, Leopoldo Peres já exerceu funções como deputado estadual, deputado-federal e superintendente da Suframa. Mais recentemente ele atuou como controlador-geral do Estado, de 2003 até o início de 2017.
 biografia
Leopoldo Péres Sobrinho nasceu em Manaus no dia 5 de setembro de 1929, filho de Arnoldo Carpinteiro Péres e de Maria do Carmo Campelo Carpinteiro Péres.  Estudou ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Formou-se também técnico em administração municipal e em relações humanas pelo Instituto Brasileiro de Administração Municipal (IBAM). 
Tabelião, professor e jornalista, em 1950 foi nomeado diretor do Departamento de Estatística do estado do Amazonas. No mesmo ano ingressou na política filiando-se ao Partido Social Progressista (PSP), quando concorreu a deputado estadual. Foi secretário na gestão de Álvaro Maia. Em 1962 foi eleito deputado federal pelo PSD. Suplente de Fábio Lucena, em 1987  assumiu o mandato de senador. Entre 1990 e 1991 assumiu a chefia da Suframa.    
 
 
 

Publicidade
Publicidade