Publicidade
Manaus
POLÊMICA

Venda de bebida alcoólica para pessoas armadas tem discussão adiada na CMM

Vereador Marcel Alexandre (PHS) pediu vistas para entender a execução da lei quando for aprovada. Projeto voltará para discussão no plenário na próxima semana 13/11/2018 às 15:34
Show camara 8dec5e18 b61a 452f b9df 978ffa14a4b1
Foto: Reprodução
Geizyara Brandão Manaus (AM)

O projeto de lei substitutivo que proíbe venda de bebidas alcoólicas a pessoas armadas foi adiado novamente durante a primeira discussão na manhã desta terça-feira (13) na Câmara Municipal de Manaus (CMM). O vereador Marcel Alexandre (PHS) pediu vistas para entender a execução da lei quando for aprovada.

“Será que essa lei, a Câmara passa a legislar para além da responsabilidade dela, já que o tema é segurança. Então se o município não responde por segurança, legislar sobre esse tema passa a ser temerário, porque não se está prevendo mecanismos da execução”, comentou Marcel.

O coautor da propositura, vereador Chico Preto (PMN), defendeu que a Casa Legislativa discuta com as entidades que vão cumprir a lei. Para o parlamentar, não haverá prejuízo para a população se o projeto for votado apenas em dezembro.

"Uma coisa é certa: eu entendo que bebida e direção é a mesma coisa que bebida e arma. Para mim tem o mesmo perigo. (...) O projeto precisa de uma discussão, defendi isso desde o início", disse.

Ficou incumbido ao vereador Cel. Gilvandro Mota (PTC) a realização de uma audiência pública para debater a temática na CMM. “São poucas as pessoas que agem dessa maneira que colocam em risco a integridade sua e da população. (...) Uma pessoa embriagada ou sob efeito de substâncias entorpecentes não tem o devido discernimento para lidar com uma arma de fogo. (...) Nossa colaboração é só o aprimoramento da legislação que foi proposta pelos vereadores (Joana D’Arc, Chico Preto e Júnior Resgate)”, explicou.

O projeto voltará para segunda discussão no plenário da CMM na próxima semana.

Publicidade
Publicidade