Publicidade
Manaus
Manaus

Vendedores ambulantes seguem na espera pela construção do Shopping Popular do T4

Ex-camelôs aguardam ansiosos por conclusão do shopping popular, mas não deixam de vender produtos, até mesmo na rua 27/11/2014 às 21:48
Show 1
De acordo com a Seminf, a construção do shopping popular do T4 está dentro do cronograma, que prevê prazo de cinco meses para a conclusão da obra
oswaldo neto ---

As obras do Shopping Popular do T4, no Jorge Teixeira, Zona Leste, estão em ritmo acelerado para a instalação de mais de 700 bancas de vendedores ambulantes que fazer parte do programa Viva Centro Galerias Populares. Enquanto a construção não é inaugurada, muitos camelôs continuam trabalhando, ansiosos,  nas galerias populares e até nas ruas,  e recebendo bolsa-auxílio da prefeitura para não “ficar no prejuízo”.

É o caso de João Nogueira, 48. Retirado das calçadas do Centro e levado para a galeria popular da avenida Floriano Peixoto, ele conta que, apesar de receber a bolsa auxílio de R$ 1 mil da prefeitura, ainda complementa a renda mensal vendendo produtos nas ruas, como ambulante. “Vendo óculos na galeria, mas acabo trabalhando na rua pra ganhar mais. Conheço muita gente que só está em casa recebendo os R$ 1.000. Acho que com a inauguração do Shopping T4 as coisas vão melhorar sim, quem gosta de trabalhar vai se dar bem”.

Outro que está ansioso pela inauguração do shopping popular T4 é Romildo Nogueira Lopes, 43. Ele conta que trabalhou por 25 anos na avenida Eduardo Ribeiro, umas das primeiras vias beneficiadas com a ação. Após a mudança feita pela prefeitura, o vendedor acabou sendo acomodado na galeria provisória da rua Floriano Peixoto. Ele revela que os benefícios depois da inauguração do shopping popular foram muitos. “Eu moro próximo do Shopping T4, no bairro Novo, bem na ‘biqueira’. Com a inauguração, vou poder ir caminhando e posso até almoçar em casa todos os dias. Mal posso esperar”, brincou.

Enquanto o dia não chega, Romildo segue vendendo produtos no camelódromo, principalmente óculos de sol e armações. “Trabalho todos os dias. A clientela não é a mesma de antes, mas graças a Deus temos esse auxílio de R$ 1.000, que ajuda bastante durante o mês”. 

Auxílio

O benefício citado por Romildo é depositado no dia 25 de cada mês para todos os camelôs remanejados pela prefeitura para galerias provisórias e definitivas. Segundo a Secretaria Municipal do Centro (Semc), após serem retirados dos antigos locais de atuação, os vendedores passam a receber, por dois meses, uma bolsa-auxílio de R$ 1.000, a fim de compensar uma possível queda nas vendas. Além disso, os trabalhadores têm direito a uma cesta básica.

Obras

De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), as obras do Shopping T4 estão dentro do cronograma previsto pela equipe de engenharia do órgão. No dia 18, a segunda fase da obra completou 30 dias e, atualmente, está sendo executada a conclusão da cravação no subsolo de mais de 300 estacas em concreto armado. Sequencialmente, a edificação começará a ser erguida. O prazo para a conclusão da obra é de cinco meses.

Em números

1032 camelôs foram retirados das ruas e calçadas do Centro, desde o início do Projeto Viva Centro Galerias Populares, da prefeitura. Com a saída deles, as calçadas ficaram “livres” para sofrerem nova invasão, desta vez por lojistas, que insistem em expor produtos nas calçadas, e também por vendedores ambulantes, que montam bancas, carrinhos ou vendem os produtos nas mãos.

Publicidade
Publicidade