Quinta-feira, 19 de Setembro de 2019
INQUÉRITO

Venezuelana que acusou padre de estupro é indiciada por denunciação caluniosa

Segundo a Polícia Civil, exames e conversas não apontaram os crimes de estupro, mas sim que a imigrante e o padre mantinham um relacionamento amoroso. O pai da venezuelana também foi indiciado



aagora_dip_D39DCFBD-FADD-4176-94EB-3EF756CF2662.JPG O inquérito sobre o caso foi finalizado na última sexta-feira (2), no 5° DIP. Foto: Arquivo AC
06/08/2019 às 15:01

A imigrante venezuelana, identificada pelas iniciais A.H.Y, e o pai dela, Israel Álvarez de Jesus, foram indiciados pela Polícia Civil do Estado do Amazonas (PCAM) por denunciação caluniosa. A jovem, juntamente com o pai, acusou um padre de 60 anos de tê-la estuprado por três vezes. Ela veio para Manaus em busca de tratamento médico, para o câncer que enfrenta no sistema linfático, e fugindo da crise política e social de seu país.

A delegada que acompanhou o caso, Debórah Barreiros, titular do 5° Distrito Integrado de Polícia (DIP), afirmou que o inquérito foi finalizado na última sexta-feira (2). Durante as investigações, conforme a autoridade policial, não ficou comprovado que o padre cometeu os crimes de estupro. Mensagens trocadas por ele e a mulher comprovaram, conforme a investigação policial, que os dois mantinham um relacionamento amoroso.  Exames também não apontaram os abusos sexuais.

"Já finalizei o inquérito, indiciei ela (venezuelana) e o pai por denunciação caluniosa. Com o resultado de exames e a recuperação de mensagens no celular do padre, fica claro que eles tinham um relacionamento comum entre homem e mulher. Claro, que bate de frente com dogmas da igreja, mas na finalidade de estupro, o crime não existiu", afirmou Debórah, acrescentando que o padre e a mulher chegaram a se encontrar. "Existiam encontros previamente marcados, mas eram encontros, não foi apontado nenhum indício de crime", disse.

A delegada afirmou que a venezuelana não passou por um interrogatório, pois não atendeu o chamado em comparecer a delegacia. "Eles foram indiciados, embora eu não tenha feito interrogatório, pois eles não atenderam o nosso chamado para que algumas coisas fossem esclarecidas. O pai e a filha foram indiciados indiretamente e agora ficam a cargo da Justiça", disse a delegada.

A titular do DIP também afirmou que soube pela imprensa que a venezuelana estava grávida. "Ficamos sabendo da gravidez pela própria imprensa. De forma oficial, eles não nos falaram nada e nenhum exame feito por nós comprovou. Depois, soubemos também que ela teve um aborto espontâneo", completou Debórah.

Pai se posiciona

Por telefone, o pai da venezuelana Israel Álvarez de Jesus manteve a versão de crimes de estupros cometidos pelo padre. Ele também afirmou que não estava preocupado com a medida da Polícia Civil do Amazonas, mas apenas continuava pedindo Justiça.

"Podem me acusar do que quiserem, mas algo é evidente, aconteceu um abuso sexual contra uma pessoa sem capacidade e iremos até as últimas consequências. Vamos nos reunir com o advogado e pensar no que vamos fazer", disse.

O pai também confirmou que a venezuelana perdeu a criança. "Infelizmente, perdeu o bebê e está internada no Instituto da Mulher. Minha filha foi vítima de um abuso sexual da parte desse padre. Este senhor tem que responder perante a Justiça. O que fez a Polícia Civil não tem nenhum valor”, afirmou.

Suspensão de atividades                                                        

Por conta da denúncia, o padre foi suspenso pela Arquidiocese de Manaus do uso das suas ordens no dia 7 de julho de 2019. Procurada na manhã desta terça-feira (6) pela reportagem, a assessoria de imprensa do órgão informou que o sacerdote permanece suspenso pela "conduta não apropriada". A Arquidiocese Militar do Brasil também manteve a autoridade eclesiástica suspensa das atividades.

Casos

A imigrante de 29 anos, que foi diagnosticada com Linfoma de Hodgkin - câncer que se origina no sistema linfático - afirmou no Boletim de Ocorrência (B.O) que o sacerdote falava durante e após os crimes que ela seria curada da doença.

A denunciante contou também para a polícia que no momento da ejaculação na sua vagina, o padre gritava: “Deus te ama, Deus te ama!”.

News amanda00 fbdf33e9 57d8 4f3d 9b50 fe9771f08596
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.