Publicidade
Manaus
Manaus

Vereador encabeçará ação coletiva contra Manaus Ambiental

Atualmente, o parlamentar está fazendo um levantamento dos responsáveis pelas famílias atingidas para protocolar a ação na próxima terça-feira (02) 27/03/2013 às 18:21
Show 1
O prefeito determinou que a empresa pague os danos materiais de todos os moradores atingidos pelo rompimento da adutora
acritica.com Manaus

O presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Prof. Samuel (PPS), vai entrar com uma Ação Coletiva por Danos Morais pedindo reparação imediata dos prejuízos causados à população pelos dois rompimentos na adutora da Rua Flores, no bairro Compensa, na zona oeste de Manaus, nos últimos dois meses.

Atualmente, o parlamentar está fazendo um levantamento dos responsáveis pelas famílias atingidas para protocolar a ação na próxima terça-feira (02). No dia 15 de janeiro deste ano, a tubulação no local rompeu prejudicando 87 casas. No último sábado (23), a mesma adutora gerou os mesmos problemas  causando prejuízos a 51 famílias, segundo a Defesa Civil.  No total, são 138 famílias que precisam receber  ressarcimento.

“No primeiro rompimento, ficamos sabendo que até hoje as famílias não tiveram seus bens ressarcidos e agora outras pessoas foram prejudicadas pelo mesmo problema. A Manaus Ambiental precisa ser processada para aprender a respeitar a população. Creio que essa Ação Coletiva na Justiça vai atender de forma mais rápida às necessidades dos moradores”, explicou o vereador Prof. Samuel.

Após consultar sua assessoria jurídica, o vereador disse que a forma mais eficaz e concreta para resolver os problemas das famílias seria a Ação Coletiva. Esta semana, o Ministério Público do Estado (MPE) recebeu representação de vereadores para tomar providências em relação aos problemas das famílias atingidas com o rompimento das adutoras. “Respeito o procedimento dos colegas, mas acredito que agora o caminho é ir direto à Justiça. Na condição de presidente da Comissão dos Direitos Humanos, tenho que tomar essa providência”, completou Prof. Samuel.

Esta é a nona vez que uma adutora rompe em Manaus, só este ano. Segundo a Manaus Ambiental na última semana a estação de Tratamento de Água Potável do Ismael, responsável por 80% do abastecimento da cidade, sofreu três quedas de energia o que pode ter ocasionado o problema. Para o vereador essa situação é absurda e não pode continuar. “Para mim, essa desculpa é ridícula. A empresa precisar fazer os estudos técnicos para saber seu potencial de pressão em suas tubulações”, finalizou o parlamentar.

Em nota, a Manaus Ambiental informou que fechou acordo com todas as 52 famílias da Rua das Flores, na Compensa, e que os cheques indenizatórios serão entregues amanhã, 28/03, da mesma forma em que a concessionária agiu no caso do São Jorge, onde 72h após o acidente indenizou todas as famílias.


Com informações da assessoria.

Publicidade
Publicidade