Sábado, 17 de Agosto de 2019
PEDIDO INUSITADO

Vereador pede orações para que Amazonino não se candidate ao cargo de prefeito

"Manaus não merece mais Amazonino Mendes de jeito nenhum", provocou o vice-líder do prefeito na CMM, Gilvandro Mota (PTC), durante a sessão desta terça-feira (16)



c2ed2602-a541-4fd6-b506-3a7365ac2dba_4FD65A04-5745-4A4A-8979-07CC4EF4999C.jpg Foto: Reprodução/Internet
16/07/2019 às 18:34

O vereador Cel. Gilvandro Mota (PTC), vice-líder do prefeito na Câmara Municipal de Manaus (CMM), solicitou, nesta terça-feira (16), parte na fala do vereador Bessa (SD) para, entre outras coisas, pedir aos colegas pastores da Casa que orem para afastar Amazonino Mendes de uma possível volta ao Executivo Municipal. “Manaus não merece mais Amazonino Mendes de jeito nenhum”, provocou.

O vereador foi o primeiro a falar na tribuna e tratou sobre a educação. No entanto, pediu para manifestar-se novamente no fim da sessão, enquanto Bessa criticava a gestão de Wilson Lima (PSC).

Mota enfatizou que é contra a medida aprovada pela Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), que permite que o governo não aumente os salários de servidores estaduais até 2021, e em seguida defendeu que Lima herdou contas em todos os setores, oriundos da gestão anterior.

“Esse governo já foi assumido de forma totalmente estrangulada, um governo falido, que estava com as contas públicas totalmente deficitárias e por conta disso demandariam medidas do atual governo, fazendo renascer aquilo que nós precisamos contestar, refutar, rechaçar, que é a possibilidade de um renascimento político de uma pessoa que fez sim, que tem seus méritos, mas tem muitos deméritos e é um grande responsável por tudo aquilo que vivemos, principalmente pelo avanço dessas invasões, porque ele foi um dos que mais impulsionou isso, que mais patrocinou e agiu de forma politiqueira, tornando a nossa cidade, uma cidade quase que inadministrável” disse o vice-líder de Arthur Neto (PSDB) referindo-se ao ex-governador.

Em seguida, Mota continuou dizendo que torce para que o Amazonas possa avançar e que o atual governo tenha condições de redirecionar o Estado do que chamou de “gestão desastrosa” deixada por Mendes, que assumiu o governo em 2017, quando o então governador José Melo (Pros) fora cassado e pediu orações pela cidade e pelo estado.

“Eu quero pedir aos nossos vereadores, que são mais próximos de Deus, que são pastores e fazem essa religião com muita religiosidade, que possam orar para nos livrar desse mal que vem à tona, que boia novamente, que aparece novamente. Manaus não merece mais Amazonino Mendes de jeito nenhum. Precisamos refutar isso e tirar da vida das pessoas a possibilidade de colocar uma pessoa que fez sim o bem, mas que fez muito mal a Manaus e ao Amazonas”, pontuou o vereador.

Após a declaração, parte dos vereadores ressaltou os feitos de Mendes nas gestões municipais e estaduais, e outros não quiseram opinar sobre o pedido de orações.   

Uma pesquisa de intenções de voto para a Prefeitura de Manaus,divulgada no último sábado, trouxe Amazonino Mendes com 21% das intenções, seguido de David Almeida (Avante) com 15%, e José Ricardo (PT), com 14%. A próxima eleição para prefeito e vereadores será em 2020.

Receba Novidades

* campo obrigatório
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.