Sexta-feira, 03 de Julho de 2020
PRESSÃO

Vereadores defendem retorno gradativo do comércio para o mês de junho em Manaus

Para embasar o seu posicionamento, o vereador Marcelo Serafim (PSB) exibiu uma apresentação onde comparou a conjuntura municipal a países da Europa



Marcelo-Serafim-by-tiago-correa-cmm_C624CE25-D613-4F48-9BC4-981F28552B7E.jpg Foto: Divulgação
25/05/2020 às 12:48

Marcelo Serafim (PSB), defendeu na sessão plenária virtual realizada nesta segunda-feira (25) o retorno das atividades comerciais municipais no mês de junho, de forma gradativa e escalonada. A defesa foi aceita e elogiada por seus pares da casa. 

Durante seu tempo de fala o vereador e farmacêutico exibiu uma apresentação assinada por ele mesmo, de pesquisas e anotações que ele vem feito desde o mês de Março e que daria parecer favorável ao retorno do comércio. 



“Desde quando a Itália tinha 300 mortos eu anotava diariamente”, afirmou. Os números usados são da SEMULSP, porque, segundo o parlamentar, os dados da  Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) não tem nenhuma solidez. “São dados sempre atrasados por conta da demora dos diagnósticos”, disse.

A fonte da pesquisa e os números globais foram obtidos por Marcelo no portal Bing. 

O vereador afirmou que os números de Manaus dão segurança para o início da reabertura gradual do comércio. “Quando analisamos os dados da Itália, Espanha e França vemos que as nossas curvas são muito semelhantes a destes países e como estamos com quatro semanas epidemiológicas atrás desses países podemos observar o que acontecerá neles e reavaliar qualquer necessidade de novas medidas restritivas”, disse.

“Temos o menor nível de sepultamentos em mais de 45 dias e os menores níveis de internações dos últimos 30 dias, entendo que o estado deve chamar o comércio e debater de forma conjunta os protocolos de reabertura. Imposições neste momento não são apropriadas. Viveremos um novo normal, no qual o comércio terá que se mostrar para o consumidor de uma forma diferente”, afirmou

Marcelo disse ainda que empresas que não consigam passar segurança para o consumidor estarão fadadas ao fracasso. “Ninguém melhor do que os próprios empresários para conduzirem isso de forma madura esses protocolos junto ao estado”, frisou.

O vereador Chico Preto (DC) disse, também, que a população municipal quer voltar a trabalhar e pediu proatividade da prefeitura. "O papel da prefeitura não é de dizer 'não pode' mas dizer como a população deve trabalhar. E dizer como isso dever ocorrer. Não é a prefeitura que vai colocar comida na mesa de quem quer trabalhar. A prefeitura tem que ser proativa", defendeu.

Roberto Sabino (Podemos) defendeu o retorno e pediu cuidados. "Todos nós devemos usar medidas protetivas e com isso fazer o setor comercial retornar. Porque, realmente as pessoas nos cobram muito", lembrou.

Vereador do MDB, Prof. Gedeão Amorim salientou a complexidade amazônica e os desafios do Brasil possuir esferas continentais e pediu um comitê de crises. "Não apenas em Manaus, mas em todos os municípios do interior. O trabalho do Marcelo deveria atingir uma ampla divulgação a fim de que as pessoas ganhem mais esclarecimentos", sugeriu.

Ao fim, Marcelo afirmou que enviaria sua pesquisa aos colegas e a colegas empresários. "Vamos ser a primeira cidade brasileira a sair da crise", defendeu. "Estados como Rio de Janeiro e São Paulo ainda vão viver seus picos enquanto Manaus estará bem", finalizou.

Maria Luiza Dacio
Repórter do Caderno A do Jornal A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.