Publicidade
Manaus
Manaus

Versão da Polícia Civil sobre conflito na comunidade Bom Pastor contradiz a da população

De um lado a população afirma que homens armados invadiram o local e agrediram os moradores. Já a Polícia Civil informa que ação era a formalização da entrega do documento de aviso de reintegração de posse 22/09/2015 às 19:41
Show 1
Confusão assustou moradores da comunidade Bom Bastor
alexandre pequeno Manaus (AM)

No conflito ocorrido na manhã desta terça-feira (22), na comunidade Bom Pastor, na avenida Torquato Tapajós, bairro Novo Israel, Zona Norte de Manaus há uma contradição entre os fatos narrados pela Polícia Civil e a população da área. De um lado a população afirma que um grupo formado por 11 homens armados invadiu o local intimidando os moradores e incitando o conflito. Segundo os moradores, dois homens levados à força da área.

Já a Polícia Civil informou que policiais do 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP) saíram em diligência, junto com o oficial de Justiça, no intuito de formalizar a entrega do documento de aviso de reintegração de posse a pessoas que ocupam uma área de propriedade privada.

No local, eles afirma que foram recebidos de forma violenta pelos moradores, o que ocasionou na prisão de Gledson Nascimento da Silva, 35, e Renan Felipe do Amaral Silva, 23.

Após o conflito, a Polícia informou que Gledson Nascimento foi liberado após assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).  Renan, por sua vez, continua detido no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Andrey Nascimento, irmão de Gledson, alertou que ele pode ser transferido para a cadeia. “Falaram para gente que se não arranjássemos o dinheiro para a fiança, ele vai ‘baixar’ para a cadeia pública. Eles chegaram aqui aparentemente agredidos”, afirmou.

Um irmão de Renan, que preferiu não se identificar, afirmou que ele também continua preso.  “Os caras, sem camisa, armados, chegaram no local atiraram contra a população covardemente”, disse.

Publicidade
Publicidade