Publicidade
Manaus
IMIGRAÇÃO

Vice-presidente dos EUA se solidariza com crianças imigrantes em abrigo de Manaus

Representante do governo norte-americano, criticado pela política de “tolerância zero” de imigração na fronteira com o México, prometeu US$ 1 milhão para venezuelanos acolhidos no Brasil 27/06/2018 às 14:28 - Atualizado em 27/06/2018 às 15:48
Álik Menezes Manaus (AM)

Em meio ao período de terror vivido por imigrantes ilegais que moram ou tentam entrar em solo americano pela fronteira com o México, onde impera a política de imigração “tolerância zero” do presidente Donald Trump, o vice-presidente do país Mike Pence visitou hoje, quarta-feira (27), um abrigo de Manaus que acolhe venezuelanos refugiados da crise no país vizinho.

Durante a visita, Mike Pence interagiu e conversou com crianças venezuelanas e se solidarizou com os refugiados, reforçando a ajuda de US$ 1 milhão prometida ontem (26) em encontro com presidente Michel Temer destinado para o trabalho de acolhimento feito pelo governo brasileiro com os imigrantes da Venezuela.

O local que acolhe venezuelanos em Manaus é a Casa de Acolhida Santa Catarina de Sena, localizada no bairro Petrópolis, Zona Sul. Lá, vivem aproximadamente 79 venezuelanos que fugiram da crise econômica, política e social da Venezuela e que buscam trabalho no Brasil. A imprensa brasileira não foi autorizada a participar da entrevista coletiva no abrigo, apenas jornalistas estrangeiros.

Críticas à Maduro

No encontro de ontem, com Temer, em Brasília, apesar de ter agradecido o trabalho feito pelo governo brasileiro de acolher mais de 50 mil venezuelanos, Mike Pence também reforçou a necessidade de tomar ações contra o governo de Nicolás Maduro, presidente da Venezuela. “O Brasil liderou esforços para expulsar a Venezuela do Mercosul, uniu-se aos EUA para suspender a Venezuela da OEA (Organização dos Estados Americanos). Agora, chegou a hora de agir com mais firmeza, e os EUA pedem ao Brasil e às outras nações mais atitudes contra o regime de Maduro”, disse, em discurso.

Atualmente, a política de imigração do governo norte-americano na fronteira com México, como, por exemplo, separar crianças dos próprios pais, vem sendo bastante criticada e motivo de decisões judiciais. Hoje, a Justiça norte-americana ordenou que o governo Trump reúna, em um prazo de 30 dias, centenas de crianças e adolescentes separados dos pais. Na decisão, o juiz federal Dana Sabraw também decidiu que as crianças de 5 anos sejam devolvidas aos pais no máximo em 14 dias.

Publicidade
Publicidade