Terça-feira, 21 de Maio de 2019
RISCO

Vídeo flagra populares pulando em água contaminada; infectologista revela riscos

Forte chuva deixou áreas alagadas e alguns locais, como o Igarapé do 40, se tornaram em espaço de "diversão". Doenças como leptospirose e hepatite podem surgir devido contato com a água, diz especialista



28/12/2016 às 18:01

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um grupo de pessoas pulando nas águas do Igarapé do 40 após forte chuva registrada na capital nesta terça-feira (27). No entanto, apesar da diversão da população, o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) e infectologista, Bernardino Albuquerque, recomenda que o contato com as águas da chuva nesse período seja o mínimo pelo risco de doenças.

Ele explica que doenças por veiculação hídrica, como leptospirose, e transmissão vetorial (dengue, Zika e Chikungunya) estão entre os casos mais frequentes no período de chuva, principalmente em crianças, por apresentarem imunidade mais baixa. Segundo o infectologista, a hepatite também pode ser causada pela ingestão de águas contaminadas.

“Nesses casos, é importante que seja feito o tratamento da água com hipoclorito de sódio, sendo duas gotas para cada litro de água. Já em relação à água que invade as casas, não tem outra forma: é preciso evitar o máximo possível. Essas águas são correntes e contaminadas por dejetos humanos e de animais, então é necessário evitar”, disse ele.

Na gravação compartilhada entre internautas, um grupo de jovens pula nas águas do Igarapé do 40 e nadam no local. O infectologista explica que a atitude é cercada de riscos, principalmente para crianças. “Ontem vimos uma quantidade enorme de crianças brincando na água da enxurrada. Isso não deve ser permitido pelos pais”.

Ainda segundo ele, não há como avaliar a olho nu a potabilidade das águas da chuva. “Às vezes as pessoas olham a água e acreditam que naquele lugar está limpo. Qualquer água contaminada tem o mesmo risco, seja pela turbidez, pelo volume. Não há como saber, porque os microorganismos são micros e o perigo não está aparente”, explicou.

Chuva

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a chuva registrada ontem na capital foi a maior do mês de dezembro. Entre 9h e 11h, foram registrados 102,02 milímetros de chuva na cidade. O volume registrado até o final da manhã consolidou o dia como o mais chuvoso do mês de dezembro. Até então, a marca era do dia 20 de dezembro, quando houve 82.8mm de precipitação, a maioria no horário da noite.

Durante a chuva, um desmoronamento de barranco no bairro Nova Vitória, na Zona Leste, matou quatro pessoas. De acordo com a Defesa Civil do Município, foram contabilizados 131 registros pelo telefone de emergência 199 e a estimativa é que 655 pessoas tenham sido afetadas (média de 5 pessoas por ocorrência).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.