Publicidade
Manaus
Manaus

Vigilantes da saúde discutem os desafios da FVS-AM

Falta de melhoria em exames para doenças renais e queda em doações de sangue são os problemas diagnosticados pelos trabalhadores 05/08/2015 às 21:11
Show 1
Evento reuniu profissionais da FVS e Anvisa na praça Heliodoro Balbi, Centro
Oswaldo Neto Manaus (AM_

A alta demanda para exames de doenças renais crônicas e a vistoria em estoques de sangue em algumas épocas do ano são os principais desafios enfrentados pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) atualmente. Ontem (5) o órgão realizou um encontro em alusão ao Dia Nacional da Vigilância Sanitária na praça Heliodoro Balbi, Centro.

O evento reuniu fiscais de saúde da FVS, da Agência Nacional de Saúde (Anvisa) e o público em geral. A data foi instituída para promover a conscientização da população, proporcionando esclarecimentos sobre temas relacionados à vigilância sanitária.

De acordo com o gerente de serviços de saúde da fundação, Marco Antônio Fernandes, a vigilância sanitária existe em todos os municípios do Amazonas, sendo que em Manaus os trabalhos são executados pelo Departamento de Vigilância Sanitária (Visa Manaus). No entanto, ele destacou que apesar da grande divulgação de trabalhos de prevenção relacionados a endemias como dengue, chikungunya e malária, os atuais esforços têm se concentrado em doenças renais crônicas e doações de sangue.

“O nosso papel é a regulamentação da parte de produtos e serviços de saúde e fazer cumprir as normas, avaliando os riscos e evitando riscos. Hoje nós temos um número grande de portadores de doenças crônicas  como pressão alta e diabetes. Porém, a oferta de serviços como diálise é pouca em relação à demanda nas clínicas. Isso pode levar a riscos no futuro, fazendo com que algumas práticas são puladas ou feitas de forma não satisfatória”, explicou.

 Em relação às doações de sangue, a situação é ainda mais complexa devido ao fato do estoque ser provido por meio de doações.

“Aí o risco não está mais no produto em si, mas na falta do produto, onde exige de nós um monitoramento constante. Para resolver isso é questão de campanha, conscientização, isso o Hemoam faz, mas mesmo assim verificamos que há uma queda no quantitativo”, disse.

Doenças crônicas

De acordo com a Regional Amazonas da Sociedade Brasileira de Nefrologia, existem hoje, no Brasil, mais de 100 mil pessoas dependentes de diálise.  A hipertensão (35%) e diabetes (30%) representam as principais causas da Doença Renal Crônica.

Publicidade
Publicidade